Na mira de operação da PF, líder do governo no Senado coloca cargo à disposição de Bolsonaro

Alvo de uma operação da PF deflagrada na manhã desta quinta-feira (19), o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho, colocou seu cargo à disposição de Jair Bolsonaro. "Tomei a iniciativa de colocar à disposição o cargo de líder do governo para que o governo possa, ao longo dos próximos dias, fazer uma avaliação se não seria o momento de proceder uma nova escolha ou não” , disse

Fernando Bezerra Coelho
Fernando Bezerra Coelho (Foto: Jane de Araújo/Agência Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Alvo de uma operação da Polícia Federal deflagrada na manhã desta quinta-feira (19), o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), colocou seu cargo à disposição de Jair Bolsonaro. "Tomei a iniciativa de colocar à disposição o cargo de líder do governo para que o governo possa, ao longo dos próximos dias, fazer uma avaliação se não seria o momento de proceder uma nova escolha ou não”, disse Bezerra. 

De acordo com reportagem do jornal Folha de S. Paulo, a colocação do cargo de liderança à disposição já foi conversada com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. O assunto causa preocupação na base governista, já que Bezerra e visto com uma voz moderada na Casa, além de ser um articulador com bom trânsito entre o governo e a oposição, o que eleva o temor de que não haja um nome capaz de substituí-lo nas articulações políticas.  

Nomes de integrantes do próprio partido de Bolsonaro, como os senadores Major Olímpio e Flávio Bolsonaro, são vistos como inviáveis. Enquanto o primeiro vem sofrendo uma série de desgastes por criticar o governo, Flávio Bolsonaro também é alvo de investigações pela suspeita de envolvimento em um esquema de apropriação de salários de servidores quando foi deputado estadual pelo Rio de Janeiro, além de ter se envolvido em brigas com senadores do próprio PSL. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247