Na primeira chance, Serra já nacionaliza eleição de SP

"So Paulo a maior cidade do Brasil e aqui, neste ano, que se travar uma disputa importante para o futuro do municpio, do Estado e do pas", disse o chefe tucano ao apresentar pedido de inscrio nas prvias do PSDB; como ele quer, disputa interna ser adiada; nas urnas de outubro, ser o bem contra o mal; ou o mal contra o bem, dependendo do ponto de vista...

Na primeira chance, Serra já nacionaliza eleição de SP
Na primeira chance, Serra já nacionaliza eleição de SP (Foto: DIOGO MOREIRA/AGÊNCIA ESTADO)

247 com Agência Estado – O ex-governador José Serra apresentou hoje seu pedido de inscrição nas prévias do PSDB para a Prefeitura de São Paulo. Em seu discurso, o tucano disse que atendeu a um “chamado de minha própria consciência” para entrar na disputa. Para ele, a eleição em São Paulo será o embate de duas visões distintas de Brasil.

O ex-governador de São Paulo entregou, por volta das 17h30 de hoje, carta à Executiva Municipal do PSDB, na qual se dispõe a participar do processo de prévias do partido à sucessão da Prefeitura de São Paulo. Em breve pronunciamento, feito na sede do diretório, ele ressaltou que com a entrega deste documento, estabelece a sua disposição para ser candidato do PSDB e para governar a cidade de São Paulo. "Se a direção do partido aceitar este documento, eu saberei disputar essa eleição interna", afirmou.

No documento, Serra lembra que depois das eleições presidenciais de 2010, na qual foi candidato pelo PSDB, manifestou publicamente sua disposição de voltar sua atenção às questões nacionais. Ele pondera, contudo, que nas últimas semanas ocorreram manifestações de integrantes do PSDB para que ele disputasse a eleição municipal. "Para mim, a política não é uma atividade privada, objeto apenas da vontade e do desejo pessoal, ou fruto de ambição íntima". "Eu aprendi a reconhecer que o interesse coletivo se sobrepõe sempre aos planos pessoais daqueles que abraçaram de fato a causa pública", acrescentou.

Serra falou também que as ações e os movimentos políticos são subordinados às circunstâncias e à conjuntura do momento. Na carta, lida aos membros do diretório, ele observa ainda que, nos últimos dias, ouviu os seus interlocutores, como o prefeito Gilberto Kassab (PSD) e o governador Geraldo Alckmin (PSDB), e refletiu sobre a situação do País e sobre os dissabores que o processo democrático tem enfrentado diante do avanço da hegemonia de uma força política sobre São Paulo, numa referência ao PT.

Ele disse também que São Paulo é a maior cidade do Brasil e que, neste ano, se travará uma disputa não apenas para o futuro do município, mas também para o futuro do País. "São Paulo é a maior cidade do Brasil e é aqui, neste ano, que se travará uma disputa importante para o futuro do município, do Estado e do país", disse o ex-governador, já estabelecendo o tom da sucessão em São Paulo. "Uma disputa entre duas visões distintas de Brasil, duas visões distintas de administração dos bens coletivos, duas visões distintas de democracia, duas visões distintas de respeito aos valores republicanos". Na carta, ele ainda ressalta que não foge às suas responsabilidades e que, ao se apresentar para a disputa, deixa claro que quer ser prefeito de São Paulo porque, segundo ele, a cidade cobra o que há de melhor do PSDB. "Nós respeitamos os nossos adversários, mas temos clareza de que o nosso partido e os nossos aliados representam o melhor para esta cidade".

Serra disse também que sempre estimulou o processo de prévias na disputa partidária e que pretende fazer uma administração em São Paulo "digna de nosso sonho". Serra vai conversar amanhã, à tarde, com jornalistas na sede estadual da legenda para falar sobre sua entrada na disputa pela Prefeitura de São Paulo.

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247