Na Rússia, Temer elogia Congresso e diz ter apoio de 21 partidos

Em visita à Rússia, Michel Temer elogiou papel do Congresso brasileiro no seu governo; as palavras do peemedebista aparecem no momento em que os parlamentares aguardam uma denúncia contra o Temer dentro da Operação Lava Jato; "Eu fiz um governo semiparlamentarista, com 90% dos ministros oriundos do Parlamento", disse Temer nesta terça, em encontro com o presidente da Duma, a Casa baixa do Parlamento russo, Viacheslav Volodin; Temer citou a existência de 28 partidos no Congresso, emendando que 21 deles apoiam o Planalto; sem falar diretamente no agravamento da crise política ou citar a JBS, Temer disse ainda que "fatos desprezíveis" tentam impedir o crescimento da economia

Em visita à Rússia, Michel Temer elogiou papel do Congresso brasileiro no seu governo; as palavras do peemedebista aparecem no momento em que os parlamentares aguardam uma denúncia contra o Temer dentro da Operação Lava Jato; "Eu fiz um governo semiparlamentarista, com 90% dos ministros oriundos do Parlamento", disse Temer nesta terça, em encontro com o presidente da Duma, a Casa baixa do Parlamento russo, Viacheslav Volodin; Temer citou a existência de 28 partidos no Congresso, emendando que 21 deles apoiam o Planalto; sem falar diretamente no agravamento da crise política ou citar a JBS, Temer disse ainda que "fatos desprezíveis" tentam impedir o crescimento da economia
Em visita à Rússia, Michel Temer elogiou papel do Congresso brasileiro no seu governo; as palavras do peemedebista aparecem no momento em que os parlamentares aguardam uma denúncia contra o Temer dentro da Operação Lava Jato; "Eu fiz um governo semiparlamentarista, com 90% dos ministros oriundos do Parlamento", disse Temer nesta terça, em encontro com o presidente da Duma, a Casa baixa do Parlamento russo, Viacheslav Volodin; Temer citou a existência de 28 partidos no Congresso, emendando que 21 deles apoiam o Planalto; sem falar diretamente no agravamento da crise política ou citar a JBS, Temer disse ainda que "fatos desprezíveis" tentam impedir o crescimento da economia (Foto: José Barbacena)

247 - Em visita à Rússia, Michel Temer elogiou papel do Congresso brasileiro no seu governo. As palavras do peemedebista aparecem no momento em que os parlamentares aguardam uma denúncia contra o Temer dentro da Operação Lava Jato.

"Eu fiz um governo semiparlamentarista, com 90% dos ministros oriundos do Parlamento", disse Temer nesta terça (20) em encontro com o presidente da Duma, a Casa baixa do Parlamento russo, Viacheslav Volodin. Ao falar com o russo, Temer citou a existência de 28 partidos no Congresso brasileiro, "o que não sei se é bom ou ruim", emendando que 21 deles apoiam o Planalto.

A Procuradoria-Geral da República deve apresentar nos próximos dias a acusação formal contra Temer em decorrência da delação dos executivos da empresa JBS. Temer foi gravado pelo empresário Joesley Batista numa conversa nada republicana.

A Constituição estabelece que essa denúncia só pode ser transformada em processo caso haja aprovação pelo plenário da Câmara, com o voto de pelo menos 342 de seus 513 integrantes.

JBS

Michel Temer evitou citar nominalmente a crise envolvendo a empresa JBS, mas disse que "fatos absolutamente desprezíveis e desprezáveis" têm atrapalhado a retoma do crescimento do País. "Quero salientar que o mais importante é que pusemos o país nos trilhos da responsabilidade e do crescimento. É claro que há lá uma ou outra observação, outra objeção. O que é interessante é que acontece no exato momento em que a economia começou a decolar, de repente acontecem fatos que visam a tentar impedir. Fatos absolutamente desprezíveis e desprezáveis". 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247