‘Não é aceitável que um presidente se comporte dessa forma com a PF’, diz presidente do sindicato de delegados

"Não é aceitável que um presidente se comporte dessa forma com a Polícia Federal, atropelando decisões que cabem ao diretor-geral e passando por cima até mesmo do ministro Sergio Moro, conforme sua agenda de interesses", denuncia Tania Prado, presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia Federal

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247- Em entrevista ao jornal Estado de S.Paulo, Tania Prado, presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia Federal em São Paulo, critica a ordem de Bolsonaro para mudança no comando da corporação no Rio – caiu, de repente, o delegado Ricardo Saadi, um especialista em investigações sobre crimes financeiros e recuperação de ativos da corrupção no exterior.

“A ingerência política na Polícia Federal é perigosíssima, pois coloca o órgão totalmente à disposição do governante, que passa a se sentir a vontade para usá-la conforme seus interesses”, diz ela. 

"Não é aceitável que um presidente se comporte dessa forma com a Polícia Federal, atropelando decisões que cabem ao diretor-geral e passando por cima até mesmo do ministro Sergio Moro, conforme sua agenda de interesses.", acrescenta 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247