O vídeo da propina

STF vai encaminhar Cmara as imagens em que Jacqueline Roriz aparece recebendo propina; isso pode acelerar o processo de cassao

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Fernando Porfírio_247 – O Supremo Tribunal Federal vai compartilhar com a Câmara dos Deputados o vídeo em que a deputada federal Jaqueline Roriz aparece recebendo dinheiro de Durval Barbosa, ex-secretário de Relações Institucionais do então governador do Distrito Federal José Roberto Arruda. A deputada é acusada por crime contra a administração pública.

A decisão foi tomada pelo ministro Joaquim Barbosa, relator do inquérito que tramita no STF contra a deputada. O ministro atendeu pedido do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, para que fosse enviado à Câmara o vídeo, gravado pelo próprio Durval Barbosa, além de depoimentos nos quais o ex-secretário esclarece o contexto de suas relações com a investigada.

De acordo com o relator, "o vídeo contém gravação clandestina, realizada por um dos interlocutores – Durval Barbosa –, inexistindo obrigação de guardar segredo, por não conter dados da intimidade da investigada. Assim, ausente causa legal ou constitucional de sigilo, defiro o pedido”, disse o ministro em seu despacho.

Recém-eleita, a deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF), filha do ex-governador Joaquim Roriz, foi flagrada em um vídeo recebendo maços de dinheiro do pivô do escândalo conhecido como mensalão do DEM, Durval Barbosa.

O vídeo mostra Durval entregando o dinheiro à deputada, que está acompanhada do marido, Manoel Neto. O vídeo teria sido gravado em 2006, quando Jaqueline era candidata a deputada distrital pelo PSDB.

As investigações do mensalão do DEM se tornaram públicas no fim de 2009, depois que a Polícia Federal deflagrou a operação Caixa de Pandora. A operação investiga um suposto esquema de arrecadação e pagamento de propina comandado pelo então governador do DF José Roberto Arruda (ex-DEM e hoje sem partido).

Arruda era apadrinhado político de Joaquim Roriz, mas depois rompeu com o ex-governador. Arruda, que ficou preso por dois meses após a tentativa de suborno de uma testemunha, sempre negou envolvimento no caso.

Além do governador, o escândalo envolveu secretários do DF, auxiliares de Arruda, e deputados distritais que recebiam dinheiro a partir das mãos de Barbosa. Agora, com a filha de Roriz, então candidata a distrital, aparecendo no vídeo, amplia-se o círculo de envolvidos.

Na gravação, o marido de Jaqueline reclama com Barbosa quando o ex-secretário diz que as remessas ficariam entre três e cinco, e não em seis, como inicialmente combinado. “Rapaz, não é fácil ser candidato. Resolve isso para mim cara!”, diz Manoel Neto.

O vídeo protagonizado pela deputada é o 31º divulgado pelo ex-secretário de Relações Institucionais do Distrito Federal, Durval Barbosa. Ele recebeu o benefício da delação premiada para ajudar nas investigações da Caixa de Pandora. Há suspeita, no entanto, que Barbosa guarde mais de 200 filmagens ainda não reveladas.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247