Odebrecht: Dilma confirma encontro, mas nega caixa 2

Em nota, a presidente Dilma Rousseff confirma que esteve com o executivo Marcelo Odebrecht na ocasião de uma viagem oficial à Cidade do México, mas nega ter tratado com ele de doações para campanha eleitoral; "No encontro, também não se tratou de pagamentos ao jornalista João Santana, responsável pelos programas de rádio e TV na campanha eleitoral", diz o texto; informação foi publicada pela Folha de S. Paulo nesta terça-feira 21 como sendo parte da delação que Marcelo Odebrecht estaria firmando com o Ministério Público Federal; em petição enviada ao juiz Sérgio Moro, o MP informou que não há delação fechada com a empreiteira e pediu seguimento de ação penal contra executivos da empresa

Em nota, a presidente Dilma Rousseff confirma que esteve com o executivo Marcelo Odebrecht na ocasião de uma viagem oficial à Cidade do México, mas nega ter tratado com ele de doações para campanha eleitoral; "No encontro, também não se tratou de pagamentos ao jornalista João Santana, responsável pelos programas de rádio e TV na campanha eleitoral", diz o texto; informação foi publicada pela Folha de S. Paulo nesta terça-feira 21 como sendo parte da delação que Marcelo Odebrecht estaria firmando com o Ministério Público Federal; em petição enviada ao juiz Sérgio Moro, o MP informou que não há delação fechada com a empreiteira e pediu seguimento de ação penal contra executivos da empresa
Em nota, a presidente Dilma Rousseff confirma que esteve com o executivo Marcelo Odebrecht na ocasião de uma viagem oficial à Cidade do México, mas nega ter tratado com ele de doações para campanha eleitoral; "No encontro, também não se tratou de pagamentos ao jornalista João Santana, responsável pelos programas de rádio e TV na campanha eleitoral", diz o texto; informação foi publicada pela Folha de S. Paulo nesta terça-feira 21 como sendo parte da delação que Marcelo Odebrecht estaria firmando com o Ministério Público Federal; em petição enviada ao juiz Sérgio Moro, o MP informou que não há delação fechada com a empreiteira e pediu seguimento de ação penal contra executivos da empresa (Foto: Gisele Federicce)

247 - A presidente Dilma Rousseff divulgou uma nota nesta terça-feira 21 para responder reportagem veiculada na Folha de S. Paulo sobre uma suposta delação premiada de Marcelo Odebrecht, que falaria de caixa 2 na campanha de Dilma ao Ministério Público.

A presidente confirmou ter se encontrado com o executivo na ocasião de uma viagem oficial à Cidade do México, como diz a reportagem, mas nega ter tratado com ele, nesse encontro, de doações para campanha eleitoral.

"No encontro, também não se tratou de pagamentos ao jornalista João Santana, responsável pelos programas de rádio e TV na campanha eleitoral", diz o texto, divulgado pela assessoria de imprensa.

Em petição enviada ao juiz Sérgio Moro, de Curitiba, nesta segunda-feira 20 o Ministério Público informou que "não há acordo de colaboração" fechado com executivos da empreiteira e pediu seguimento de ação penal contra a empresa. 

Abaixo, a íntegra da publicação feita no site da presidente:

Todos os pagamentos da campanha de reeleição foram feitos dentro da lei e declarados à Justiça Eleitoral
21 DE JUNHO DE 2016

Ao contrário do que diz reportagem da Folha de S.Paulo sobre suposta delação de Marcelo Odebrecht, a presidenta Dilma Rousseff afirma que nunca tratou de doações com o empresário, tampouco de pagamentos ao jornalista João Santana.

A assessoria de imprensa da presidenta lamenta que, uma vez mais, conteúdo em segredo de Justiça seja vazado de maneira seletiva.

Leia a íntegra da nota:

A respeito da reportagem da Folha de S.Paulo – "Em delação, Marcelo Odebrecht admitirá elo com repasses para Dilma" – sobre a suposta delação do empresário Marcelo Odebrecht, a Assessoria de Imprensa da presidenta Dilma Rousseff informa.

É lamentável que, mais uma vez, o conteúdo em segredo de Justiça seja vazado, seletivamente e de maneira escandalosa, para a imprensa. A despeito disso, contudo, cabe esclarecer:

A presidenta Dilma Rousseff confirma que esteve com o empresário Marcelo Odebrecht, em maio de 2015, por ocasião de uma viagem oficial à Cidade do México. O encontro foi breve e, ao contrário do que informa a reportagem da Folha, o diálogo não tratou de doações. No encontro, também não se tratou de pagamentos ao jornalista João Santana, responsável pelos programas de rádio e TV na campanha eleitoral.

A presidenta Dilma Rousseff reitera o que já é público e notório. Todos os pagamentos pelos serviços prestados da campanha de reeleição, inclusive a João Santana, foram feitos dentro da lei e declarados à Justiça Eleitoral. À produtora de João Santana, os pagamentos totalizaram R$ 70 milhões.

Sobre as suposições do empresário Marcelo Odebrecht, a presidenta Dilma Rousseff não tem porque tecer quaisquer considerações ou comentários.

ASSESSORIA DE IMPRENSA
PRESIDENTA DILMA ROUSSEFF

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247