Onda de repúdio no Brasil à monstruosidade de Bolsonaro contra Bachelet

O ataque de Jair Bolsonaro à memória de Alberto Bachelet, pai da ex-presidente chilena Michelle Bachelet e morto após torturas na ditadura daquele país gera repúdio nacional. De acordo com o deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ), "mais uma vez Bolsonaro mostra sua baixeza moral". "Afronta ao Chile", disse o ex-presidenciável Fernando Haddad. Confira outras reações

247 - O ataque de Jair Bolsonaro à memória do brigadeiro Alberto Bachelet, pai da ex-presidente chilena Michelle Bachelet e morto após torturas na Ditadura Militar daquele país (1973 e 1990) gera repúdio nacional. 

"Afronta ao Chile: Bolsonaro ataca pai de Bachelet, morto sob Pinochet, e defende golpe no Chile", disse o ex-presidenciável Fernando Haddad no Twitter.

No Facebook, Bolsonaro criticou a ex-presidente chilena, que apontou "encolhimento do espaço democrático no Brasil". Em seu post, ele escreveu: “Diz [referindo-se a Bachelet} ainda que o Brasil perde espaço democrático, mas se esquece que seu país só não é uma Cuba graças aos que tiveram a coragem de dar um basta à esquerda em 1973, entre esses comunistas o seu pai brigadeiro à época”. 

A menção faz data do golpe de Estado no Chile que levou Augusto Pinochet ao poder, em 11 de setembro de 1973, ano em que Alberto Bachelet morreu torturado. 

De acordo com o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ), "mais uma vez Bolsonaro mostra sua baixeza moral ao exaltar assassinos, torturadores e ditadores". "Após ser criticado pela comissária da ONU para DH, Michelle Bachelet, o presidente atacou o pai da ex-presidente chilena, assassinado pela ditadura Pinochet".

A deputada federal Talíria Petrone (PSOL-RJ) afirmou que "novamente Bolsonaro trata de forma canalha a perda de um familiar assassinado pela ditadura". "Agora foi o pai da ex-presidente do Chile, Michelle Bachelet, que foi morto pelo sanguinário Pinochet.  Não há condições de um entusiasta de ditaduras seguir no comando do nosso país".

Segundo a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS), "o ocupante do Planalto não pára de nos envergonhar". "Sua construção moral não conhece o respeito à vida. E destrói a própria reputação".

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) disse que "Bolsonaro é uma crise internacional ambulante! Agora ataca o pai de Bachelet, morto pela ditadura chilena". "Bolsonaro precisa entender que os líderes q se pronunciam sobre sua gestão não são contra o Brasil, são contra as atitudes nocivas dele à humanidade!".

O escritor Paulo Coelho também repercutiu o assunto e ironizou no governo Bolsonaro após a notícia de que a produção industrial recuou 0,3% em julho. "Solução: elogiar o MONSTRO do Pinochet, apoiar a tortura e morte do pai de M. Bachelet e desviar por completo o assunto, com a ajuda do filho 'dipromata'", disse.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247