Palácio do Jaburu vira covil do golpe

Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente Michel Temer, virou uma espécie de ponto de comício pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff; somente nesta terça-feira (13), o local foi "invadido" por representantes do PSD, PR além do próprio PMDB, partido de Temer; "Muitos deputados estavam lá. Foi feita uma verdadeira romaria. Teve até congestionamento para entrar, uma loucura. Parecia que tinham combinado para fazer um comício lá", afirmou o deputado José Priante (PMDB-PA)

Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente Michel Temer, virou uma espécie de ponto de comício pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff; somente nesta terça-feira (13), o local foi "invadido" por representantes do PSD, PR além do próprio PMDB, partido de Temer; "Muitos deputados estavam lá. Foi feita uma verdadeira romaria. Teve até congestionamento para entrar, uma loucura. Parecia que tinham combinado para fazer um comício lá", afirmou o deputado José Priante (PMDB-PA)
Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente Michel Temer, virou uma espécie de ponto de comício pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff; somente nesta terça-feira (13), o local foi "invadido" por representantes do PSD, PR além do próprio PMDB, partido de Temer; "Muitos deputados estavam lá. Foi feita uma verdadeira romaria. Teve até congestionamento para entrar, uma loucura. Parecia que tinham combinado para fazer um comício lá", afirmou o deputado José Priante (PMDB-PA) (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A residência oficial do vice-presidente, Michel Temer, o Palácio do Jaburu, virou uma espécie de ponto de comício pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff. Somente nesta terça-feira (13), o local foi "invadido" por representantes do PSD, PR e do PMDB, partido de Temer. "Muitos deputados estavam lá. Foi feita uma verdadeira romaria. Teve até congestionamento para entrar, uma loucura. Parecia que tinham combinado para fazer um comício lá", disse o deputado José Priante (PMDB-PA).

Nesta terça, o líder da bancada do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani (RJ), liberou a bancada para votar como achar melhor, mas em sofrendo pressões que anuncie publicamente que a maioria dos deputados do partido é favorável ao impeachment. Picciani, porém, é um dos que são contrários ao afastamento da presidente Dilma.

Segundo o jornal O Estado de São Paulo, após o encontro com Picciani e Priante, Temer reuniu-se com um grupo de deputados do PMDB considerado indeciso.. "Foi uma palavra para todos, diante da possibilidade concreta de acontecer o desfecho do impeachment. Ele está preocupado com a unidade do partido", destacou Priante.

De acordo com o parlamentar, com o desembarque do PP da base governista, os votos favoráveis ao impeachment gira em torno de 350.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247