Perdendo trens

É hora de propor ao Congresso a retomada do processo de reformas estruturais, de modo a fechar mais flancos, diante da possível, talvez inevitável, intensificação da crise

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Lisboa – O Brasil crescerá pouco neste ano e em 2012. Deveria aproveitar para fazer rigoroso e efetivo ajuste fiscal para, a partir dele, rebaixar as taxas básicas de juros da economia.

Colocando o carro na frente dos bois, arrisca o pelo e o dinheiro dois brasileiros. E demonstra não levar a sério a gravíssima crise que toma conta da zona do euro e dos Estados Unidos.

É hora de propor ao Congresso a retomada do processo de reformas estruturais, de modo a fechar mais flancos, diante da possível, talvez inevitável, intensificação da crise. A presidente Dilma Rousseff deveria dirigir-se a todos os brasileiros, aí incluídos os oposicionistas, e conclamá-los à realização de tarefa nacional. Que não seria obra de um governo, mas de toda a nossa sociedade.

Como vai, não vai bem, por mais que a propaganda oficial diga o contrário e que as estatísticas, que põem nas mãos do ministro Mantega, sejam o retrato mais cego do otimismo ingênuo. Roberto Campos, aliás, tinha muita razão ao dizer que “as estatísticas são como o biquíni: mostram tudo, menos o essencial”.

Artificializar crescimento, como fizeram em 2010, seria manifestação de insanidade. A inflação anualizada está, com viés de alta, em perigosos 7.23%. Dificilmente ela se acomodará no teto da meta – já excessivamente elevado e permissivo – que é de 6.5%.

O pior dos mundos seria a inflação bater nos dois dígitos. Nisso, sinceramente, não tenho razões para acreditar. Mas o fato é que com esse inimigo não se deve brincar. Ele é imortal. Sonso. Faz-se de inerte, mas levanta e mostra a face ao menor descuido. E Mantega parece não acreditar em verdade tão elementar.

Outro ponto preocupante é o retorno claro aos tempos do protecionismo, que já fracassara no período ditatorial, sob a batuta de Delfim Netto. O aumento esdrúxulo de IPI para importação de veículos mostra que o governo não sabe lidar com os problemas que ele mesmo deixou florescer.

Voltarei a este tema na próxima semana.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247