Pesquisa indica que 75% votariam em candidato gay para Presidência: começa esvaziamento da agenda conservadora

Levantamento do Instituto Paraná indica esvaziamento da agenda conservadora e mostra que 75% podem votar num candidato gay; percentual é similar entre homens e mulheres. Entre jovens, chega a 82%

Manifestantes em Aracaju pedem o "Fora Bolsonaro"
Manifestantes em Aracaju pedem o "Fora Bolsonaro" (Foto: @MidiaNINJA)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 e Fórum - Pesquisa do Instituto Paraná revela que para 75,9% da população brasileira o fato de um candidato à presidência ser gay não alteraria o seu voto.

A pesquisa também mostra que esse índice é quase o mesmo entre homens e mulheres: 76,2% e 75,6%, respectivamente. O resultado indica um esvaziamento da agenda conservadora que prevaleceu desde o movimento pelo golpe contra Dilma Rousseff e se acentuou com a eleição de Jair Bolsonaro.

Entre a população com idade de 25 a 34 anos, 82% dos entrevistados declararam que a homossexualidade de um candidato ao Palácio do Planalto não alteraria o seu voto.

PUBLICIDADE

A pesquisa foi feita entre os dias 15 e 19 de julho, e foram entrevistadas 2033 pessoas por telefone em 26 estados e no Distrito Federal. A margem de erro é de 2 pontos para mais ou para menos.

Se a tendência consolidar-se ao longo de 2021 e 2022, estará fadada ao fracasso a  estratégia de promover o ódio contra a população LGBTQI+ na campanha presidencial no ano que vem e pode trazer ainda mais rejeição a Bolsonaro.

PUBLICIDADE

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e assista:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE

Apoie o 247

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email