PF chega a “Edgar”, apontado como intermediário de propina a grupo de Temer

De acordo com investigações realizadas pela Polícia Federal, Edgar Safdie, empresário dos ramos imobiliário e financeiro, era o intermediário da propina para o "grupo de Michel Temer na Câmara"; a informação foi descoberta nos registros telefônicos do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, o "homem da mala" de Temer

Michel Temer e deputado Rodrigo da Rocha Loures (PMDB-PR),  pego com mala com propina de R$ 500 mil paga pela JBS
Michel Temer e deputado Rodrigo da Rocha Loures (PMDB-PR),  pego com mala com propina de R$ 500 mil paga pela JBS (Foto: Charles Nisz)

247 - Segundo o relatório de investigação da Polícia Federal sobre o caso Michel Temer, o nome de Edgar, citado como intermediário do recebimento de propina para "o grupo de Temer na Câmara", se refere a Edgar Rafael Safdie. Safdie é um empresário dos setores imobiliário e financeiro.

Os investigadores realizaram essa descoberta ao checar os registros telefônicas do celular do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil de propina da JBS. Em depoimento à PF, Safdie “reconheceu a relação de longa data que mantém com Rodrigo [Rocha Loures], rechaçando, no entanto, qualquer participação ou conhecimento dos fatos que estão sendo apurados”, aponta o relatório.

De acordo com a PF, não houve “tempo hábil” para aprofundar esse ponto da investigação. Danyelle Galvão, advogada de Edgar, afirmou em nota que "seu cliente não teve qualquer participação nos fatos apurados. Não teve contato com Rocha Loures sobre pagamentos ou recebimento de dinheiro, tampouco possui negócios com ele".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247