CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Poder

Picciani chama Lindbergh de “covarde” e vê Beltrame vice de Pezão

Presidente do PMDB-RJ não está para bricandeiras;  “Como prefeito, Lidbergh Farias destruiu Nova Iguaçu”, disse Jorge Picciani em entrevista ao jornal Extra; “Esse rapaz é um covarde”, acentuou, referindo-se à estratégia do senador petista, pré-candidato ao governo do Estado, de dividir o Rio entre ricos e pobres; “O PT do Rio faz chantagem e é calhorada”, desferiu; para o experiente político, pré-candidato Luiz Fernando Pezão, do PMDB, terá no secretário estadual de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, o candidato ideal a vice-governador; “É só ele assinar a ficha de filiação”

Picciani chama Lindbergh de “covarde” e vê Beltrame vice de Pezão
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 – O presidente do PMDB do Rio, Jorge Picciani, estava quieto até ver, na televisão, os programas políticos do PT em que, como principal estrela, o senador Lindbergh Farias surgiu com o discurso de antagonismo entre o Rio Zona Sul, habitado por gente rica com direito a metrô, e o Rio Zona Norte e da Baixada Fluminense, onde a realidade ainda é de moradias precárias e transporte em velhor trens.

"Foi uma ruptura conosco que partiu deles", disse Picciani em entrevista ao jornal Extra, na qual deu continuidade à dura nota oficial do PMDB na qual deixou claro que a aliança entre os dois partidos na sustentação política do governo Dilma Rousseff no Estado será rompida em caso de o PT insistir na candidatura de Lindbergh Farias a governador em 2014. A única chapa aceita pelo PMDB, ao menos até agora, é a que será encabeçada pelo vice-governador Luiz Fernando Pezão.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

"Quem faz chantagem é o PT", definiu Picciani. "Lindbergh foi covarde e o PT, calhorda, ao tentar dividir o estado do Rio entre pobres e ricos, quando diz no programa que a Barra tem metrô e o subúrbio não tem trem de qualidade". Para ele, ao ser prefeito duas vezes, "Lindbergh destruiu Nova Iguaçu".

Abaixo, a íntegra da entrevista de Jorge Picciani ao Extra:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Uma sonora gargalhada é o que Jorge Picciani oferece a quem lhe pergunta se o ataque ao PT se deve à mágoa pela derrota ao Senado em 2010. Presidente estadual do PMDB de Sérgio Cabral e Eduardo Paes, ele garante que não tem rancor pela derrota ao Senado. Mas, em entrevista exclusiva ao EXTRA, Picciani demonstra que, diante dos últimos movimentos de Lindbergh Farias, não é exatamente nobre o sentimento que nutre por ele e pelo PT do Rio. O senador petista sonha com a cadeira do governador Sérgio Cabral e o PMDB já anunciou que seu candidato é Luiz Fernando Pezão. Os peemedebistas ameaçam não apoiar a reeleição da presidente Dilma Rousseff se Lindbergh for mesmo candidato.

Petistas o acusam de chantagem. Como o senhor vê isso?

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Não é chantagem. Não precisa ser um grande pensador para entender isso. Nem espero que esses petistas sejam grandes pensadores. Sempre fizemos um esforço para a aliança, mas com altivez. Quem faz chantagem é o PT. Lindbergh foi covarde e o PT, calhorda, ao tentar dividir o estado do Rio entre pobres e ricos, quando diz no programa que a Barra tem metrô e o subúrbio não tem trem de qualidade. O Lindbergh destruiu Nova Iguaçu. A ruptura partiu deles. Terão troco à altura.

O senhor tem mágoa pela derrota em 2010 para o Lindbergh, na disputa ao Senado?

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

(Risos) Pelo contrário. A grande virtude que eu tenho é não hospedar mágoa. Gostaria de ter sido senador, mas Deus é quem decide. Tive mais de três milhões de votos. Apoiei o Lula em 2002, abrindo uma dissidência, pois o Cabral e o Moreira Franco (hoje ministro dos Assuntos Estratégicos) não queriam. O PT não me apoiou. O Lula e a presidente Dilma pediram votos para o Crivella (senador licenciado e ministro da Pesca). Eu, derrotado, com uma cirurgia de câncer marcada, sangrando, desmarquei a operação e fui fazer carreata com a Dilma em Caxias. É difícil ver esse rapaz, de forma açodada, querer dividir o Rio.

O que o governador e o prefeito acham do assunto?

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Você acha que alguém que preside um partido do tamanho do PMDB toma essa posição se não fosse a mesma do governador, do prefeito, dos deputados? O PT já destruiu o Rio nos dez meses da Benedita (da Silva, ex-governadora). E Nova Iguaçu. Se quiserem partir para o pau, vamos. É difícil alguém ganhar quando nós temos o governador e o prefeito da capital.

Se o PMDB não estiver no palanque de Dilma, vai estar no de outra candidatura?

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

A candidata é a presidente Dilma. O esforço é ficar no palanque dela. Caso não consigamos, não sei onde estaremos. Talvez em outra candidatura. Mas o PT nacional é responsável.

Vai se candidatar ao Senado?

Meu candidato é Francisco Dornelles (senador pelo PP). Se ele não for, vai ser para dar solução dentro do grupo político. Mas essa decisão é dele. Outra opção para a vaga do Senado, nesse caso, é o governador Cabral, se ele quiser. Eu só decido em 2014 o que fazer.

O secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, será o candidato a vice de Pezão?

É só ele assinar a ficha de filiação. Quem trata disso com ele é o governador. Como vice, ele vai coordenar a segurança com a mesma autonomia. Se quiser que as áreas de segurança e social fiquem juntas, ele terá isso.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247,apoie por Pix,inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO