Políticos repercutem demissão de Mandetta por Bolsonaro: 'ciúmes, vaidade, negação da ciência'

Parlamentares repercutem a decisão de Bolsonaro de trocar a equipe do Ministério da Saúde enquanto o Brasil contabiliza quase 2 mil mortes por coronavírus

www.brasil247.com - Luiz Henrique Mandetta
Luiz Henrique Mandetta (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)


Por Nathalia Bignon, para o 247 - “Milhares sendo infectados, outros tantos morrendo, e a prioridade do presidente Jair Bolsonaro é mudar a equipe do Ministério da Saúde, que está cumprindo seu papel no combate à pandemia, apesar do próprio presidente. A demissão do ministro Luiz Henrique Mandetta e sua equipe em meio ao agravamento da pandemia do coronavírus é mais uma decisão absurda do presidente genocida. Vitória do coronavírus; derrota imensa do povo brasileiro à mercê de um presidente irresponsável, negligente e criminoso", assim definiu o deputado federal Márcio Jerry (MA), após o anúncio da demissão do ministro da Saúde, nesta quinta-feira (16). 

Anunciada nesta tarde, a partir de um tuíte do próprio ministro, a demissão foi formalizada logo depois pelo presidente Jair Bolsonaro. Na mesma ocasião, o empresário e oncologista, Nelson Teich, foi apresentado como novo chefe da pasta. Sem experiência na área da saúde pública, a repercussão foi imediata também entre os parlamentares.  

Danilo Cabral (PSB-PE), por exemplo, não poupou críticas à postura do presidente. “Como esperado, Bolsonaro optou, mais uma vez , pelo caminho medíocre de colocar seus interesses menores acima dos interesses do Brasil. Optar por demitir o ministro da saúde na iminência do pico da crise é um ato irresponsável e criminoso. Luiz Henrique Mandetta sai maior que entrou”, definiu. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Uma pena a demissão do ministro Mandetta. O conheci e é um profissional extremamente preparado para o cargo. E não falo só do combate ao coronavírus. O Governo perde com a sua saída. E a forma como ele saiu também é lamentável”, definiu o senador Plínio Valério (PSDB-AM).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Adiantando o desgaste que o novo ministro enfrentará, Nilto Tatto (PT-SP) divulgou um vídeo em que Teich defende a sobrevivência de um adolescente ante à decisão de salvar um idoso. “’Nelson Teich’ o novo ‘Ministro da Saúde’ deixa claro: para ele, saúde é um negócio onde o lucro prevalece sobre a vida das pessoas. Teich, assim como ‘Mandetta’, se alinha perfeitamente com Paulo Guedes e Bolsonaro em suas políticas genocidas”, criticou.

O médico, ex-ministro da Saúde e deputado federal (PT-SP) Alexandre Padilha aproveitou a chance para pedir que Mandetta não esqueça os ensinamentos deixados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “Mandetta foi demitido pelos motivos errados, espero que ele não abandone o colete do SUS que vestiu durante essa crise”, definiu. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) não escondeu o receio. “Ouvir do novo ministro da Saúde que há um "alinhamento total com Bolsonaro" é como escutar uma marcha fúnebre, tendo o presidente da República como regente”, confessou. 

Líder do MTST e candidato à presidência pelo PSOL no pleito de 2018, Guilherme Boulos, não esqueceu o histórico de Mandetta, mas citou o bom trabalho desenvolvido na pasta. “Mandetta foi presidente de planos de saúde, foi contra os médicos cubanos e votou a favor do Teto de Gastos que tirou R$9 bilhões do SUS. É incrível que, com tudo isso, tenha perdido o cargo de Ministro por suas virtudes, não por seus vícios. Só no governo genocida de Bolsonaro.

Já o senador Fabiano Contarato (Rede-ES) lamentou a demissão no cenário imposto pela pandemia. “O Presidente não demonstra grandeza nem mesmo na fase mais dramática para o país: paralisa o bom trabalho de Mandetta apenas para mostrar quem manda e não se sentir eclipsado. É um caso patológico de inveja e autoritarismo!”, comentou. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Outro parlamentar, Túlio Gadelha (PDT-PE) também não poupou na crítica. “Por ciúmes, vaidade, negação da ciência (ou tudo isso junto) Bolsonaro demitiu Mandetta em meio à pandemia de Covid-19. Nenhum ministro equilibrado que realize um trabalho sério se segura nesse governo de terraplanistas”. 

Marcelo Calero (Cidadania-RJ) foi taxativo. “Um irresponsável com fortes indícios de insanidade. Esse é o incapaz que temos na Presidência da República, um sujeito que simplesmente não se importa com o país ou com o povo que governa, mas sim em atender sua família e aos seus caprichos levianos”, classificou.

Coletiva

Aplaudido de pé durante a coletiva em que formalizou sua demissão, Luiz Henrique Mandetta agradeceu os funcionários da pasta, recapitulou momentos de sua trajetória profissional e reiterou que seguirá em sua “defesa intransigente do Sistema Único de Saúde (SUS) e da ciência”. 

“Estamos só no começo da batalha. Se vocês precisam ficar por força do ofício, vocês sabem que ministros passam, o que fica é o trabalho do ministério da Saúde do Brasil. Que tenhamos um bom resultado”, disse, visivelmente emocionado.

Na sequência, Jair Bolsonaro, em mais um pronunciamento, afirmou que em uma conversa “positiva e cordial”, Mandetta encerrou seu ciclo na Saúde. No entanto, o presidente afirmou que já o exoneraria nas próximas horas. “Foi um divórcio consensual. Porque acima de mim, como presidente, e dele, como ministro, está a saúde”, comentou Bolsonaro.  

Economia

“A questão do coronavírus se abate sobre todo mundo, o Brasil não é diferente”, disse. Citando diversas vezes o impacto sobre a economia, Bolsonaro afirmou, ainda, que o Governo não é uma fonte de socorro eterna e que não foi consultado sobre prefeitos e governadores sobre as medidas de isolamento adotadas pelos estados e que não se responsabilizará pelos efeitos futuros.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email