Presidência vive a farra do cartão de crédito sob Bolsonaro

Sob Jair Bolsonaro, a Presidência da República está vivendo uma verdadeira farra do cartão de crédito. Jair Bolsonaro não obedece limites para o uso cartão de crédito da presidência da República. Foram registrados pagamentos da Secretaria de Administração da Presidência nos valores de R$ 68 mil, R$ 70 mil e R$ 79 mil, muito acima do limite de R$ 33 mil nas compras normais.

(Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Sob Jair Bolsonaro, a Presidência da República está vivendo uma verdadeira farra do cartão de crédito. Jair Bolsonaro não obedece limites para o uso cartão de crédito da presidência da República. Foram registrados pagamentos da Secretaria de Administração da Presidência nos valores de R$ 68 mil, R$ 70 mil e R$ 79 mil, muito acima do limite de R$ 33 mil nas compras normais. A informação é do blog de Lúcio Vaz, no site da Gazeta do Povo, do Paraná.

"Bolsonaro quer abrir a caixa-preta do BNDES, mas mantém em segredo mais de dois terços das informações sobre gastos com cartões corporativos do governo federal (cerca de R$ 13,5 milhões no primeiro semestre deste ano)", escreveu Vaz.

Além do sigilo, existem casos de saques em dinheiro e outros nos quais não é informado o nome do favorecido. Apenas a presidência da República registrou R$ 6,1 milhões em despesas.

O cartão de pagamento do governo federal, na forma de cartão de crédito, paga despesas eventuais de pequeno valor, que exigem pronto pagamento, e também compras em caráter sigiloso. Na prática, porém, esses cartões podem comprar quase tudo, como combustível, passagens aéreas, medicamentos, material para construção, material impresso, etc. Também podem ser usados em restaurantes e para compras em supermercados e padarias.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247