Processo contra Lula tem que ser anulado, diz Celso Rocha de Barros

"As conversas entre Sergio Moro e Deltan Dallagnol divulgadas pelo The Intercept Brasil provam que Moro atuou como parte da acusação. Se o juiz é acusador, não há defesa possível. Sem direito de defesa, não há julgamento justo. Lula não foi submetido a um julgamento justo", diz o sociólogo Celso Rocha de Barros, doutor em Oxford. Ele lembra ainda que "o julgamento a ser anulado foi o que tirou Lula da disputa eleitoral de 2018"

Processo contra Lula tem que ser anulado, diz Celso Rocha de Barros
Processo contra Lula tem que ser anulado, diz Celso Rocha de Barros

247 – O sociólogo Celso Rocha de Barros, doutor em Oxford, defende a anulação do processo contra o ex-presidente Lula, agora que ficou provado que o ex-juiz Sergio Moro cometeu o crime de fraude processual ao se associar à acusação para condená-lo. "As conversas entre Sergio Moro e Deltan Dallagnol divulgadas pelo The Intercept Brasil provam que Moro atuou como parte da acusação. Se o juiz é acusador, não há defesa possível. Sem direito de defesa, não há julgamento justo. Lula não foi submetido a um julgamento justo", diz ele, em artigo publicado na Folha de S. Paulo nesta segunda-feira.

"Quanto às opiniões sobre a culpa ou inocência de Lula, elas voltam à estaca zero. Cada um achará Lula culpado ou inocente segundo sua própria avaliação pessoal das evidências, ou, o que é imensamente mais provável, segundo suas preferências políticas. A sentença de Moro deixa de ter qualquer peso nessa análise", afirma.

"Discordo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que, em primeira avaliação, disse que se tratava de 'tempestade em copo d'água'", diz ainda o sociólogo. "O julgamento a ser anulado foi o que tirou Lula da disputa eleitoral de 2018. Lula liderava as pesquisas. Lula subiu nas pesquisas enquanto estava preso. Lula era o candidato preferido dos brasileiros mais pobres. Não sei se teria ganho, mas Jair Bolsonaro parece achar que sim. Se não acha, por que disse que Moro livrou o Brasil do bolivarianismo?", questiona.

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247