Procuradoria acusa número 2 da Secom de fraude e crime tributário

Órgão do governo federal, a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional acusa Samy Liberman, número 2 da Secretaria de Comunicação Social, de participar de um esquema empresarial de fraudes e crimes tributários. Ele está com bens bloqueados pela Justiça

Samy Liberman e Jair Bolsonaro
Samy Liberman e Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução/Twitter | Reuters)

247 - Órgão do governo federal, a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional acusa o atual número 2 da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Samy Liberman, de participar de um esquema empresarial de fraudes e crimes tributários, informa reportagem do jornal Folha de S.Paulo. 

Samy Liberman  está com bens bloqueados pela Justiça.

A reportagem acrescenta que Samy está no centro de irregularidades encontradas pela Receita Federal que incluem criação de empresas fantasmas, emissão de notas fiscais falsas, simulação de contratos e sonegação de impostos nos anos de 2014 e 2015. As multas aplicadas pelo fisco no caso somam R$ 55 milhões.

Na semana passada, outro escândalo abalou o governo:  o secretário de Comunicação, Fabio Wajngarten, responsável pela distribuição de verbas publicitárias do governo federal, ganha dinheiro de emissoras de televisão, como a Band e a Record, que são beneficiadas por suas decisões. 

Fabio é sócio da FW Comunicação e Marketing, ele tem 95% das cotas da empresa. A FW oferece serviço de controle de concorrência e checking e também faz estudos de mídia

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247