Procuradoria apura uso de avião da FAB por Alves

Presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) levou sete convidados de Natal para o Rio de Janeiro e avião da FAB, para assistir à final da Copa das Confederações; depois de a viagem se tornar pública, Alves devolveu à União R$ 9.700 que, segundo ele, seriam referentes ao valor total da carona para seus parentes e conhecidos

247 - A Procuradoria da República no Distrito Federal abriu investigação nesta sexta-feira para apurar se houve improbidade administrativa na carona dada pelo presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN), a parentes e conhecidos em avião da FAB, para assistir à final da Copa das Confederações, no Rio.

Alves levou sete convidados de Natal para a capital carioca. Depois de a viagem se tornar pública, o presidente da Câmara devolveu à União R$ 9.700 que, segundo ele, seriam referentes ao valor total da carona para seus parentes e conhecidos. A investigação terá um prazo de 90 dias, prorrogáveis por mais 90, para concluir se houve improbidade administrativa praticada pelo presidente da Câmara.

A Procuradoria vai invetigar, inclusive, se o valor de R$ 9.700 pago por Alves corresponde ao gasto para levar os convidados. Segundo a assessoria do peemedebista, o valor foi calculado em uma média do custo dos bilhetes aéreos referentes àqueles trechos. O cálculo foi baseado em voos comerciais. O jatinho da FAB, contudo, foi fretado para os oito passageiros.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247