PSDB e PPS pedem investigação sobre Lupi ao TCU

O ministro do Trabalho acusado de fazer triangulao com dinheiro do FAT para beneficiar centrais sindicais; uma reincidncia de irregularidades", disse Duarte Nogueira, lder do PSDB, ao 247

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Evam Sena_247, em Brasília – A situação está cada vez mais complicada para o ministro do Trabalho, Carlos Lupi (PDT). Denúncias de irregularidades na gestão do Fundo de Amparo no Trabalhador (FAT) ganham peso e a permanência de Lupi no governo fica envolta em dúvidas. O ministério poderá ser alvo de investigação da Procuradoria-Geral da República, se for aceito pedido de partidos da oposição que será feito nesta terça-feira. 

O ministro é acusado de fazer triangulação com dinheiro do FAT para beneficiar centrais sindicais. Só neste ano, empresas vinculadas a sindicatos já receberam R$ 11 milhões de recursos do fundo. Essas centrais estariam impedidas pelo TCU de receber dinheiro público por conta de irregularidades no passado. Muitas não têm estrutura para prestar os serviços contratados ou não prestaram contas. 

Segundo reportagem do jornal o Estado de S.Paulo, a Federação Nacional de Mototaxistas e Motofretistas, presidida por Robson Alves Paulino, filiado ao PDT, assinou convênio de R$ 1,5 milhão como o ministério para qualificar motoboys, mas precisou contratar professores e pedir salas emprestadas. 

Contra Lupi, pesam ainda denúncias de loteamento político. Mesmo depois da exoneração do tesoureiro do partido, Marcelo Panella, da função de chefe de gabinete do ministro, em agosto, dez dirigentes do PDT têm cargos de indicação na pasta. O próprio ministro disse que a filiação partidária "pesou" para as nomeações. 

O PSDB e o PPS vão pedir nesta terça-feira para que a Procuradoria-Geral da República (PGR) e o Tribunal de Contas da União (TCU) investiguem as denúncias de irregularidades em contratos do ministério. A oposição vai pedir ainda, na Câmara dos Deputados, cópias de todos os convênios com entidades ligadas a centrais sindicais.

“É uma reincidência de irregularidades, com viés de beneficiar pessoas ligadas a partidos da base aliada. O dinheiro do FAT não pode ir para central sindical. As denúncias dão a entender que há uma triangulação para beneficiar sindicatos. Nós vamos apurar”, disse o líder do PSDB, Duarte Nogueira (SP), ao Brasil 247. 

"A ação do TCU é urgente e necessária para impedir que mais um ministério do governo do PT vá parar nas páginas policiais devido a desvios de dinheiro público. Não queremos que aconteça no Ministério do Trabalho o mesmo que ocorreu com a pasta do Turismo", afirma em nota o líder do PPS, Rubens Bueno (PR).

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247