PSOL confirma candidatura Boulos, que pede liberdade de Lula

Com a pré-candidatura confirmada à presidência pelo PSOL, o líder do MTST, Guilherme Boulos, afirmou neste sábado 21, durante convenção do partido, que a chapa tem "o desafio de enfrentar o golpe e tirar o país das mãos dessa quadrilha do Temer"; ele afirma ainda que a aliança do partido com os movimentos sociais "está sendo capaz de realimentar a esperança nas pessoas"; a liderança indígena Sônia Guajajara foi confirmada como vice-presidente na chapa, apresentada pelo PSOL como "copresidenta"

PSOL confirma candidatura Boulos, que pede liberdade de Lula
PSOL confirma candidatura Boulos, que pede liberdade de Lula (Foto: Jorge Ferreira / Mídia NINJA)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Lançado oficialmente como pré-candidato à presidência da República, o líder do MTST, Guilherme Boulos, destacou que o primeiro compromisso da candidatura será "revogar as medidas desse governo corrupto". "Temos o desafio de enfrentar o golpe e tirar o país das mãos dessa quadrilha do Temer", completou. Boulos pediu ainda a liberdade do ex-presidente Lula em seu discurso.

"O que está acontecendo aqui hoje é a maior expressão de que pra chegar em lugar diferente precisa fazer de outro jeito. A partir de uma aliança inédita de partidos políticos com movimentos sociais. O que a gente tem visto andando pelo país é que nossa aliança está sendo capaz de realimentar a esperança nas pessoas", discursou ainda.

Leia mais na reportagem da Reuters:

BRASÍLIA (Reuters) - O líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, teve sua candidatura à Presidência da República pelo PSOL homologada neste sábado, buscando firmar o discurso de aliança das esquerdas contra a retirada de direitos sociais e o projeto que chama de golpista nas eleições.

A liderança indígena Sônia Guajajara foi confirmada como vice-presidente na chapa, embora o PSOL tenha optado por indicá-la como "copresidenta" em suas plataformas sociais.

Boulos, que propõe o aumento do investimento público no país em contraposição ao ajuste fiscal, também defende a realização de uma reforma tributária progressiva e maior atuação dos bancos públicos para calibrar os juros cobrados aos consumidores.

Em falas públicas, o candidato de 36 anos tem pregado uma eventual união no segundo turno do que ele chamou de "campo progressista" para derrotar os partidos que apoiaram o impeachment de Dilma Rousseff. Também tem se posicionado em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que diz ter sido alvo de uma injustiça.

Condenado em segunda instância no processo do tríplex, o ex-presidente, que está preso, corre o risco de ser barrado de concorrer nas eleições de outubro.

Paulista e filho de dois médicos e professores da Universidade de São Paulo (USP), Boulos se formou em Filosofia na mesma instituição. Após dar aulas na rede pública de ensino estadual, ele deixou a casa dos pais e mudou-se para a Ocupação Carlos Lamarca, do MTST, em Osasco, grande São Paulo.

Segundo informações no site do PSOL, o MTST está presente hoje em 14 Estados do país, tendo realizado mais de 60 ocupações.

Por Marcela Ayres

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247