PT e PSDB prestam solidariedade aos seus

O PT e o PSDB emitiram nesta terça (10) manifestações de apoio aos seus partidários citados na Operação Lava Jato; o PT o fez em nota assinada pela bancada do partido no Senado; já o PSDB saiu em defesa do senador Antonio Anastasia em discurso realizado pelo presidente da legenda, o também senador Aécio Neves; na nota do PT, a bancada manifesta solidariedade à senadora Gleisi Hoffmann e aos senadores Humberto Costa e Lindbergh Farias; eles enfatizam que “compartilham o mesmo estranhamento e a mesma indignação por eles sentida, ao deparar com seus nomes em uma relação obtida sob o regime de delação premiada"; já Aécio disse que "do ponto de vista pessoal, moral", nem Tancredo Neves, Ulysses Guimarães e Teotônio Vilela não superam Anastasia

O PT e o PSDB emitiram nesta terça (10) manifestações de apoio aos seus partidários citados na Operação Lava Jato; o PT o fez em nota assinada pela bancada do partido no Senado; já o PSDB saiu em defesa do senador Antonio Anastasia em discurso realizado pelo presidente da legenda, o também senador Aécio Neves; na nota do PT, a bancada manifesta solidariedade à senadora Gleisi Hoffmann e aos senadores Humberto Costa e Lindbergh Farias; eles enfatizam que “compartilham o mesmo estranhamento e a mesma indignação por eles sentida, ao deparar com seus nomes em uma relação obtida sob o regime de delação premiada"; já Aécio disse que "do ponto de vista pessoal, moral", nem Tancredo Neves, Ulysses Guimarães e Teotônio Vilela não superam Anastasia
O PT e o PSDB emitiram nesta terça (10) manifestações de apoio aos seus partidários citados na Operação Lava Jato; o PT o fez em nota assinada pela bancada do partido no Senado; já o PSDB saiu em defesa do senador Antonio Anastasia em discurso realizado pelo presidente da legenda, o também senador Aécio Neves; na nota do PT, a bancada manifesta solidariedade à senadora Gleisi Hoffmann e aos senadores Humberto Costa e Lindbergh Farias; eles enfatizam que “compartilham o mesmo estranhamento e a mesma indignação por eles sentida, ao deparar com seus nomes em uma relação obtida sob o regime de delação premiada"; já Aécio disse que "do ponto de vista pessoal, moral", nem Tancredo Neves, Ulysses Guimarães e Teotônio Vilela não superam Anastasia (Foto: Valter Lima)

247 - O PT e o PSDB emitiram nesta terça-feira (10) notas de apoio aos seus partidários citados na Operação Lava Jato. O PT o fez em nota assinada pela bancada do partido no Senado. Já o PSDB saiu em defesa do senador Antonio Anastasia em discurso realizado pelo presidente da legenda, o também senador Aécio Neves.

Na nota do PT, a bancada manifesta solidariedade à senadora Gleisi Hoffmann e aos senadores Humberto Costa e Lindbergh Farias por terem seus nomes incluídos na chamada “Lista Janot”, enviada ao Supremo Tribunal Federal na última sexta-feira.

Os parlamentares que assinam a nota enfatizam que “compartilham o mesmo estranhamento e a mesma indignação por eles sentida, ao deparar com seus nomes em uma relação obtida sob o regime de delação premiada, na qual são mencionados sempre de forma indireta, muito diferente de outros nomes incluídos na chamada lista que tiveram participação direta nos atos agora colocados sob suspeição”.

A bancada do PT no Senado "apela aos agentes responsáveis pela condução dos processos para que o veredicto das ações contra nossos três companheiros seja anunciado no mais breve tempo possível – evitando-se, dessa forma, o linchamento público a que vários deles já estão sendo submetidos".

Aécio

Enquanto isso, o presidente do PSDB defendeu a trajetória política de Anastasia. "A vida me deu o privilégio de conviver com homens como Tancredo Neves, de conviver com homens como Ulysses Guimarães, como Teotônio Vilela, dentre tantos outros, que tiveram, sim, uma extraordinária dimensão política no tempo em que atuaram. Mas eu digo aqui, na Tribuna do Senado Federal, que do ponto de vista pessoal, moral, nenhum supera V. Exa", disse Aécio em referência a Anastasia.

Aécio também destacou o trabalho de Anastasia no governo de Minas Gerais. "Tive o privilégio de tê-lo como companheiro de caminhada no momento em que construímos em Minas o mais ousado modelo de gestão pública da nossa contemporaneidade, depois acompanhado por vários outros estados brasileiros. E em todos os instantes, nas graves crises e nos momentos mais sutis, V. Exa. sempre comparecia com a altivez, com a capacidade de compreender com clareza a dimensão do que significa ser um homem público. E é por isso mesmo que o ataque que V. Exa. hoje recebe atinge todos os que o conhecem", afirmou Aécio Neves.

A declaração foi feita em aparte ao discurso em que o senador Anastasia se defendeu da acusação feita no âmbito da operação Lava-Jato, sem que houvesse a apresentação de qualquer indicio de veracidade da mesma. Aécio Neves voltou a afirmar que a acusação é fantasiosa e que Anastasia não tem qualquer ligação com o caso.

"Nós, seus companheiros de partido, seus companheiros de Parlamento, e os cidadãos mineiros em especial, mas tenho certeza, que muitos brasileiros sabem, que V. Exa. é uma das melhores coisas que a vida pública brasileira já produziu. Não estou aqui para lhe prestar solidariedade. Estou para dizer que, juntos, vamos provar que a acusação contra V.Exa. não tem qualquer conexão com a realidade e que V.Exa. sairá deste episódio ainda muito maior do que entrou", ressaltou.

Abaixo a nota do PT:

NOTA DA BANCADA DO PT NO SENADO

Os senadores da bancada do Partido dos Trabalhadores vêm a público manifestar sua inteira solidariedade à senadora Gleisi Hoffmann e aos senadores Humberto Costa e Lindbergh Farias por terem seus nomes incluídos na chamada “Lista Janot”, enviada ao Supremo Tribunal Federal na última sexta-feira (06/03).

Os parlamentares que assinam essa nota também enfatizam que compartilham o mesmo estranhamento e a mesma indignação por eles sentida, ao deparar com seus nomes em uma relação obtida sob o regime de delação premiada, na qual são mencionados sempre de forma indireta, muito diferente de outros nomes incluídos na chamada lista que tiveram participação direta nos atos agora colocados sob suspeição.

A bancada também constata com tristeza que nomes de pessoas públicas honradas venham a ser pré-julgadas e condenadas pela chamada opinião divulgada, sem qualquer culpa formalizada, e pede mais responsabilidade e equidade dos meios de comunicação na divulgação dos futuros passos dos processos em trâmite no Supremo Tribunal Federal (STF).

A bancada do PT no Senado também manifesta que respeita as decisões no âmbito da Justiça anunciadas, e reforça a convicção de que todos têm o direito de ser ouvidos, por meio de instrumentos que garantam amplo direito de defesa, sem a introdução de teses ou conceitos jurídicos não utilizados comumente nos tribunais brasileiros.

Por fim, os senadores do PT também apelam aos agentes responsáveis pela condução dos processos para que o veredicto das ações contra nossos três companheiros seja anunciado no mais breve tempo possível – evitando-se, dessa forma, o linchamento público a que vários deles já estão sendo submetidos.

Brasília, 10 de março de 2015
Senado Federal

Assinam a nota os senadores
Ângela Portela – RR
Delcídio do Amaral – MS
Donizeti Nogueira - TO
Fátima Bezerra – RN
Gleisi Hoffmann – PR
Humberto Costa – PE (Líder)
Jorge Viana – AC
José Pimentel – CE
Lindbergh Farias – RJ
Marta Suplicy – SP
Paulo Paim – RS
Paulo Rocha – PA
Regina Sousa – PI
Walter Pinheiro – BA

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247