PT leva 'conduta criminosa' de Cunha ao STF

Segundo a colunista Mônica Bergamo, deputados do partido acusarão o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), de tentar chantagear três parlamentares da legenda que integram a Comissão de Ética da Câmara: "Ele estava claramente chantageando. Não aceitamos a chantagem. No mesmo dia em que anunciamos que votaríamos pela admissibilidade das investigações contra ele, Eduardo Cunha dá seguimento ao impeachment", diz o deputado Paulo Teixera, vice-líder do partido na Câmara; em artigo no blog da Cidadania, Eduardo Guimarães antecipou a 'conduta criminosa de Cunha'

Segundo a colunista Mônica Bergamo, deputados do partido acusarão o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), de tentar chantagear três parlamentares da legenda que integram a Comissão de Ética da Câmara: "Ele estava claramente chantageando. Não aceitamos a chantagem. No mesmo dia em que anunciamos que votaríamos pela admissibilidade das investigações contra ele, Eduardo Cunha dá seguimento ao impeachment", diz o deputado Paulo Teixera, vice-líder do partido na Câmara; em artigo no blog da Cidadania, Eduardo Guimarães antecipou a 'conduta criminosa de Cunha'
Segundo a colunista Mônica Bergamo, deputados do partido acusarão o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), de tentar chantagear três parlamentares da legenda que integram a Comissão de Ética da Câmara: "Ele estava claramente chantageando. Não aceitamos a chantagem. No mesmo dia em que anunciamos que votaríamos pela admissibilidade das investigações contra ele, Eduardo Cunha dá seguimento ao impeachment", diz o deputado Paulo Teixera, vice-líder do partido na Câmara; em artigo no blog da Cidadania, Eduardo Guimarães antecipou a 'conduta criminosa de Cunha' (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A bancada do PT deve apresentar nesta quinta-feira (3) ao STF (Supremo Tribunal Federal) representação pedindo o afastamento do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara por chantagem e uso indevido do cargo.

Segundo a colunista Mônica Bergamo, deputados do partido acusarão Cunha de tentar chantagear três parlamentares da legenda que integram a Comissão de Ética da Câmara. ‘O presidente da Câmara teria ameaçado os petistas afirmando que, caso eles votassem pela abertura de processo contra ele, despacharia favoravelmente pela abertura de impeachment contra Dilma Rousseff’, afirma.

"Ele estava claramente chantageando. Não aceitamos a chantagem. No mesmo dia em que anunciamos que votaríamos pela admissibilidade das investigações contra ele, Eduardo Cunha dá seguimento ao impeachment", diz o deputado Paulo Teixera, vice-líder do partido na Câmara.

"Eduardo Cunha é hoje um homem isolado e desesperado que está tomando medidas impensadas e que não reluta em tentar levar o país ao caos. Mas o Brasil está maduro e não vai permitir", finaliza o parlamentar.

Em artigo no blog da Cidadania, Eduardo Guimarães antecipou a 'conduta criminosa de Cunha'. Leia no trecho:

"A decisão de Cunha de acolher pedido de impeachment contra Dilma no mesmo dia em que o PT anuncia que votará pela admissibilidade do processo contra ele na Câmara coroa a conduta criminosa do presidente da Casa de usar o cargo que ocupa para se defender.

Se isso não é crime, nada mais é.

Por esse cometimento de crime, Procuradoria e STF não podem deixar de agir contra Eduardo Cunha. Ele atua de forma escandalosa, afrontando a lei, zombando da sociedade, que exige que ele seja punido, pois, à diferença da presidente da República, ele é acusado de vários crimes de corrupção, os quais já têm até provas materiais".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247