PT pede que o STF “fatie” denúncias contra Temer e ministros

Se depender do PT, Michel Temer e seus aliados ainda não poderão cantar vitória por enterrar a segunda denúncia da PGR na Câmara; os deputados Paulo Teixeira (PT-SP) e José Guimarães (PT-CE) pediram nesta segunda-feira (24) ao Supremo Tribunal Federal (STF) que fatie a votação da denúncia contra Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria Geral); a Câmara definiu que será feita somente uma votação, mas os deputados do PT querem o fatiamento, com quatro votações: acusação contra Temer por obstrução de Justiça; acusação contra Temer por organização criminosa; acusação contra Padilha por organização criminosa; acusação contra Moreira por organização criminosa; 

 Moreira Franco
Michel Temer
Eliseu Padilha
 Moreira Franco Michel Temer Eliseu Padilha (Foto: Giuliana Miranda)

247 - Os deputados Paulo Teixeira (PT-SP) e José Guimarães (PT-CE) pediram nesta segunda-feira (24) ao Supremo Tribunal Federal (STF) que fatie a votação da denúncia contra  Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria Geral).

A sessão em que os deputados decidirão se autorizam ou não o prosseguimento da denúncia para análise do Judiciário está marcada para esta quarta (25).
A Câmara definiu que será feita somente uma votação, mas os deputados do PT querem o fatiamento, com quatro votações:

- Acusação contra Temer por obstrução de Justiça;
- Acusação contra Temer por organização criminosa;
- Acusação contra Padilha por organização criminosa;
- Acusação contra Moreira por organização criminosa.

Mais cedo, nesta terça, o ministro do STF Marco Aurélio Mello negou pedido semelhante, apresentado por um deputado do PCdoB. Para o ministro, cabe à Câmara definir o rito da votação.

O resultado da votação desta quarta, pelo rito definido pela Câmara, valerá para Temer, Eliseu Padilha e Moreira Franco.

"Retirar a prerrogativa de escolha dos parlamentares, obrigando-os a se manifestar em única votação de 'sim' ou 'não' sobre a conduta de três pessoas, fere princípios básicos do Estado Democrático de Direito e confunde os cidadãos brasileiros que estão acompanhando esse debate público", diz trecho do documento apresentado pelos deputados do PT.

A decisão do pedido dos petistas caberá também ao ministro Marco Aurélio.

As informações são de reportagem de Fernanda Calgaro no G1.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247