PT perdeu 11% dos prefeitos que elegeu em 2012

O PT já perdeu 11% dos prefeitos que elegeu em 2012. Dos 619 petistas vencedores das últimas eleições municipais em todo o país, 69 haviam deixado a legenda até este mês; o movimento é mais forte em São Paulo, onde o partido perdeu 20 de 73 prefeitos; muitos dos que estão trocando de legenda serão candidatos à reeleição em 2016; houve perdas em Estados comandados pela oposição, como Paraná (oito prefeitos) e Goiás (cinco); muitos que estão saindo são prefeitos "sem identidade ideológica e agora estão saindo na primeira crise", diz o cientista político Jorge Almeida; o presidente do partido, Rui Falcão, disse que o PT filia mais políticos do que os perde; "Há 30 anos, toda matéria que sai diz que o partido vive a maior crise de sua história", ironizou

SÃO PAULO, SP, 29.10.2012: ELEIÇÕES 2012/PT - O presidente nacional do PT, Rui Falcão, durante entrevista coletiva na sede do partido, onde comenta sobre as eleições municipais. (Foto: Moacyr Lopes Junior/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 29.10.2012: ELEIÇÕES 2012/PT - O presidente nacional do PT, Rui Falcão, durante entrevista coletiva na sede do partido, onde comenta sobre as eleições municipais. (Foto: Moacyr Lopes Junior/Folhapress) (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O PT já perdeu 11% dos prefeitos que elegeu em 2012. Dos 619 petistas vencedores das últimas eleições municipais em todo o país, 69 haviam deixado a legenda até este mês, segundo o Tribunal Superior Eleitoral. O levantamento foi publicado pela Folha (aqui). 

O movimento é mais forte em SP, onde o partido perdeu 20 de 73 prefeitos. No Nordeste, viu a saída do único prefeito de capital que tinha (Luciano Cartaxo, de João Pessoa). Muitos dos que estão trocando de legenda serão candidatos à reeleição no ano que vem. A movimentação é um indicativo das dificuldades que a sigla deverá enfrentar.

Houve perdas em Estados comandados pela oposição, como Paraná (oito prefeitos) e Goiás (cinco), e mesmo onde os governos são da base da presidente Dilma, casos de Amazonas e Tocantins. As principais baixas foram nas regiões Sul e Sudeste - exceção feita ao Rio Grande do Sul, onde o partido manteve os 71 eleitos em 2012.

O cientista político e professor da Universidade Federal da Bahia Jorge Almeida vê a saída de prefeitos como resultado de dois fatores: a crise de imagem do PT e a busca pelo respaldo de um aliado no campo estadual. "Nas cidades pequenas, sobretudo, os prefeitos migram para partidos da base do governador em busca de obras e recursos estaduais. A crise do PT potencializou esse movimento", afirma.

A maioria dos prefeitos que deixaram o partido é do grupo de considerados "cristãos-novos" - vários deles filiados durante o período de maior popularidade do ex-presidente Lula. "Muitos foram para o PT sem identidade ideológica e agora estão saindo na primeira crise", diz Almeida.

Neste sábado (24), em São Paulo, o presidente do partido, Rui Falcão, disse que o PT filia mais políticos do que os perde. "Há 30 anos, toda matéria que sai diz que o partido vive a maior crise de sua história", ironizou.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247