PT tem "curto-circuito" e adia reforma política

Por divergências internas do PT, cujos deputados vêm sustentando sozinhos a proposta de plebiscito feita pela presidente Dilma, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), suspendeu por uma semana a reunião de instalação do grupo de trabalho que vai debater a reforma política, marcada inicialmente para as 18h desta quarta-feira; deputados Cândido Vaccarezza (PT-SP) e Henrique Fontana (PT-RS) disputam a coordenação do colegiado; "Houve um curto-circuito e já suspendi a instalação dos trabalhos, porque uma comissão que quer resolver não pode começar não resolvendo ela própria", disse Alves

PT tem "curto-circuito" e adia reforma política
PT tem "curto-circuito" e adia reforma política
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O PT deu, nesta quarta-feira, mais uma demonstração de que está perdido no Congresso Nacional. Um dia depois de os deputados petistas defenderem sozinhos a convocação de um plebiscito sobre a reforma política com validade para as eleições de 2014, uma divergência interna do partido levou ao adiamento da instalação de um grupo para discutir a reforma.

"Houve um curto-circuito [no PT] e já suspendi a instalação dos trabalhos porque uma comissão que quer resolver [a reforma política], não pode começar não resolvendo ela própria. Já transferi para a próxima semana para que o PT se unifique", disse o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). A reunião de instalação do grupo de trabalho que vai debater a reforma política estava marcada inicialmente para as 18h desta quarta-feira.

As divergências ocorrem porque deputados da bancada petista não concordam com a indicação do deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP) para a coordenação do colegiado. A outra opção é o deputado Henrique Fontana (PT-RS). De acordo com Henrique Alves, a instalação deve ocorrer na próxima semana, se superado o impasse.

O PT, o PDT e o PCdoB são os únicos partidos que ainda apostam em um plebiscito para discutir a reforma política. Com a criação do grupo de trabalho, ganha força a tese de um referendo sobre o tema. O grupo de trabalho, idealizado por Henrique Alves, foi criado oficialmente hoje. Composto por 14 membros, o colegiado terá 90 dias para apresentar uma proposta de reforma política.

Com Agência Brasil

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247