PT vai colher assinaturas por reforma política

Campanha com a população irá priorizar três pontos: financiamento público de campanhas, voto em lista preordenada pelos partidos e aumento da participação feminina nas candidaturas; líder do partido na Câmara, deputado José Guimarães (CE) critica falta de votação da proposta em análise na Casa; "As pessoas falam aqui dentro, mas na hora do 'vamos ver' os votos não aparecem"

PT vai colher assinaturas por reforma política
PT vai colher assinaturas por reforma política
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Silvia Mugnatto, Agência Câmara - Com a falta de acordo na Câmara para a votação da reforma política, o PT lançou uma campanha para coletar assinaturas a favor de um projeto de iniciativa popular que altere pelo menos três pontos do sistema atual: financiamento público de campanhas, voto em lista preordenada pelos partidos e aumento da participação feminina nas candidaturas.

"A reforma política é necessária, o financiamento público é o caminho para moralizarmos e diminuirmos a influência do poder econômico nas eleições", argumenta líder do PT na Câmara, deputado José Guimarães (CE).

Também será defendida a convocação de uma assembleia constituinte exclusiva para tratar da reforma. "O cara se elege no sistema atual, por que ele vai mudar se ele se deu bem neste sistema? Então talvez esse seja o caminho: fazer constituinte exclusiva", explica Guimarães.

A reforma política entrou em pauta na terça-feira 9, mas a falta de acordo impediu sua votação. "As pessoas falam aqui dentro, mas na hora do 'vamos ver' os votos não aparecem", critica o parlamentar. A coleta de assinaturas será feita nas ruas e ocorrerá até fevereiro de 2014.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247