HOME > Poder

Quadrilhão de Temer, Geddel e Cunha roubou R$ 170 milhões, diz MP

O elemento principal da mais nova denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra Michel Temer é a delação do doleiro e operador do PMDB, Lúcio Funaro; Janto sustenta que o ex-ministro Geddel Vieira Lima liberou em torno de R$ 5 bilhões da Caixa Econômica Federal em créditos e empréstimos quando ocupava duas vice-presidências do banco; em troca, o procurador diz que foram arrecadados por volta de R$ 170 milhões em propina pelo grupo formado por Geddel, o ex-deputado Eduardo Cunha, que hoje está preso, o ex-ministro Henrique Eduardo Alves e Temer, apontado como líder da organização criminosa do PMDB da Câmara

O elemento principal da mais nova denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra Michel Temer é a delação do doleiro e operador do PMDB, Lúcio Funaro; Janto sustenta que o ex-ministro Geddel Vieira Lima liberou em torno de R$ 5 bilhões da Caixa Econômica Federal em créditos e empréstimos quando ocupava duas vice-presidências do banco; em troca, o procurador diz que foram arrecadados por volta de R$ 170 milhões em propina pelo grupo formado por Geddel, o ex-deputado Eduardo Cunha, que hoje está preso, o ex-ministro Henrique Eduardo Alves e Temer, apontado como líder da organização criminosa do PMDB da Câmara (Foto: José Barbacena)

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - O elemento principal da mais nova denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra Michel Temer é a delação do doleiro e operador do PMDB, Lúcio Funaro. 

Baseado nisso, Janot sustenta que o ex-ministro Geddel Vieira Lima liberou em torno de R$ 5 bilhões da Caixa Econômica Federal em créditos e empréstimos quando ocupava duas vice-presidências do banco entre 2011 e 2013.

Em troca, o procurador diz que foram arrecadados por volta de R$ 170 milhões em propina pelo grupo formado por Geddel, o ex-deputado Eduardo Cunha, que hoje está preso, o ex-ministro Henrique Eduardo Alves e Temer, apontado como líder da organização criminosa do PMDB da Câmara.

O atual presidente e Henrique Alves, diz Janot, eram os responsáveis por sustentar Geddel no cargo. A denúncia ressalta ainda que Geddel, Cunha e Funaro teriam recebido apenas da J&F, holding da JBS, 90 milhões em propina no esquema.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: