Rebelo: acusações de Corrêa são “caluniosas”

O ex-ministro dos governos Lula e Dilma Aldo Rebelo (PCdoB) desmentiu as acusações do ex-deputado federal e delator da Operação Lava Jato Pedro Corrêa (PE) sobre o esquema de corrupção vinculado ao programa "Minha Casa, Minha Vida", do governo federal; de acordo o ex-ministro, o ex-parlamentar pretender uma fazer uma retaliação por conta da cassação de seu mandato quando ele, Rebelo, presidia a Câmara; "As afirmações do ex-deputado Pedro Corrêa são falsas, caluniosas e receberão como resposta um processo contra suas falsidades, pelas quais responderá perante a Justiça", diz o texto

Bras�lia - O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, participa de audi�ncia p�blica na Comiss�o de Educa��o, Cultura e Esporte do Senado, para discutir os preparativos para a Copa das Confedera��es, em 2013, e para a Copa do Mundo FIFA Brasil 2014
Bras�lia - O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, participa de audi�ncia p�blica na Comiss�o de Educa��o, Cultura e Esporte do Senado, para discutir os preparativos para a Copa das Confedera��es, em 2013, e para a Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 (Foto: Leonardo Lucena)

247 - O ex-ministro dos governos Lula e Dilma Aldo Rebelo (PCdoB) desmentiu as acusações do ex-deputado federal e delator da Operação Lava Jato Pedro Corrêa (PE) sobre o esquema de corrupção vinculado ao programa "Minha Casa, Minha Vida", do governo federal. De acordo o ex-ministro, o ex-parlamentar pretender uma fazer uma retaliação por conta da cassação de seu mandato quando ele, Rebelo, presidia a Câmara dos Deputados.

"As afirmações do ex-deputado Pedro Corrêa são falsas, caluniosas e receberão como resposta um processo contra suas falsidades, pelas quais responderá perante a Justiça", diz o texto. "Não indiquei integrantes para o Ministério das Cidades, não tive qualquer responsabilidade na atuação de eventuais indicações para aquele ministério, bem como não tive responsabilidade na atuação das pessoas apontadas pelo sr. Pedro Corrêa."

Preso desde abril de 2015, Corrêa disse que Rebelo tinha consciência de que indicações de partidos aliados para o Ministério das Cidades tinha o objetivo de arrecadar propina.

Segundo o delator, o nome indicado por Rebelo para uma diretoria do Ministério das Cidades foi o de Daniel Vital Nolasco. Daniel teria levado como assessor Fernando Lopes Borges, também indicado por Rebelo. A Diretoria de Produção Habitacional negociava com pequenos construtores subcontratados pelo programa Minha Casa Minha Vida para a construção de casas populares em cidades com menos de 50 mil habitantes.

Corrêa disse que Daniel era sócio, junto com outras duas pessoas e mais Fernando Lopes Borges, da empresa RCA Assessoria. De acordo com o delator, a RCA representava os bancos que faziam os pagamentos aos construtores, firmava contratos com as instituições financeiras, repassava o dinheiro e fiscalizava as obras.

O delator afirmou, ainda, que a propina era destinada ao PT, que comandava a Secretaria Nacional de Habitação, ao PP, partido do ministro das Cidades, e ao PCdoB, por causa da Diretoria de Produção Habitacional, que pertencia ao ministério.

"Só posso atribuir a atitude de Pedro Corrêa, ao envolver meu nome em suas atividades criminosas, ao ressentimento resultante da cassação de seu mandato de deputado federal sob minha presidência da Câmara dos Deputados", finaliza a nota de Rebelo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247