Romário se revolta com lentidão na Câmara

Deputado federal publicou hoje, em seu blog, um longo texto sobre a falta de produtividade da casa, um "absurdo que s acontece na poltica brasileira", e recebeu elogios na internet

Romário se revolta com lentidão na Câmara
Romário se revolta com lentidão na Câmara (Foto: JOSE CRUZ/AGÊNCIA BRASIL )

247 - O deputado federal Romário Faria (PSB-RJ) se diz revoltado com a lentidão da política brasileira. Na madrugada de hoje, o ex-jogador de futebol publicou um texto indignado em seu site e depois uma série de posts em seu perfil no Twitter (@RomarioOnze). Os relatos dão conta da falta de produtividade da Câmara dos Deputados, que não votaram as PECs 300/08 - que prevê um piso salarial nacional para os PMs e bombeiros do país - e 270/08 - que garante ao servidor que aposentar por invalidez permanente o direito à percepção de proventos integrais com revisão na mesma proporção e data da revisão e da remuneração dos servidores em atividade - por falta de acordo.

O parlamentar relata ter comparecido pela terceira semana em Brasília, mas que após o recesso de janeiro, nada de produtivo acontece. “Espero que na minha próxima vinda a Brasília tenha alguma porra pra fazer. Ou será que o ano realmente só vai começar depois do carnaval?", escreveu Romário. No Twitter, o deputado foi bastante elogiado pelos usuários após suas manifestações, inclusive pelo jornalista e apresentador do CQC Marcelo Tas, que o chamou de "Grande Romário". O usuário Cristian E. Lorenz (@dudulorenz) destaca o parlamentar dentre os outros: "O @RomarioOnze virou mais ídolo ainda depois de político. Diferente de outros grandes jogadores que só fazem besteira".

Como disse o próprio, foi muita "porrada". Leia abaixo, na íntegra, o texto publicado em seu site oficial:

Após o início dos trabalhos legislativos do Congresso Nacional, em 2012, o deputado Romário Faria (PSB-RJ) se diz decepcionado com a lentidão da política brasileira. Essa é a terceira semana em que Romário comparece à Câmara dos Deputados, após o recesso de janeiro, e, segundo ele, nada de produtivo acontece. O deputado se refere, principalmente, às votações em plenário, desta quarta-feira (08), que não foram realizadas devido à falta de acordo entre os líderes partidários e a alegação de falta de tempo hábil, feita por alguns parlamentares, para estudar as propostas.

“Espero que na minha próxima vinda a Brasília tenha alguma porra pra fazer. Ou será que o ano realmente só vai começar depois do carnaval? Têm greves acontecendo, pessoas morrendo e lojas sendo saqueadas. Nós políticos somos culpados mesmo! E olha que estamos em ano de eleição. Espero que alguma coisa realmente boa seja feita pelo nosso povo.”, desabafou.

O deputado enfatiza duas importantes propostas de emendas à Constituição que, apesar de terem ido várias vezes para pauta, nunca foram votadas. A primeira é a PEC 300/08, do deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB/SP) que prevê um piso salarial nacional para os PMs e bombeiros do país. Romário acredita que a crise na segurança pública, decorrente da greve de policiais militares na Bahia, pode ser amenizada com a votação dessa proposta.

“Tem absurdo que só acontece na política brasileira, principalmente na minha casa, na Câmara Federal. Acredito que seja por falta de objetividade e de sensatez algumas das coisas lamentáveis que acontecem no nosso País. Claro que nada tem que ser levado para o lado da violência e muito menos da baderna, mas temos que resolver o problema dos policiais. Profissionais que tem família e dão a vida para garantir a nossa vida. Já está claro, e inclusive aceito pelo próprio sindicato, que o salário não será equiparado aos policias de Brasília, mas com todo respeito, um policial carioca não pode ganhar menos de R$ 1 mil. E os policiais de outros estados também não podem ganhar menos do que tem direito. Antecipadamente, já digo que vou votar a favor dos policias. Não me venham com conversa fiada lá na frente e nem com pedidos.”, afirmou o deputado.

Outra proposta que deveria ter sido votada hoje é a PEC 270/08, da deputada Andréa Zito (PSDB/RJ), que garante ao servidor que aposentar por invalidez permanente o direito à percepção de proventos integrais com revisão na mesma proporção e data da revisão e da remuneração dos servidores em atividade.

“Tem coisas que só acontecem na política. E hoje, mais do que nunca, tenho certeza disso. Uma PEC que tramita na casa há quatro anos, não foi votada essa semana porque os parlamentares alegaram falta de tempo hábil para concluir se ela é positiva ou negativa para o povo. Têm quatro anos que essa PEC tramita na casa e não tiveram tempo de decidir se é boa ou ruim? Pediram para que a votação aconteça depois do carnaval. Será que o que não conseguiram resolver em quatro anos, vão conseguir resolver em duas semanas?”, indagou Romário.

Apesar das desilusões vividas por Romário nesta quarta-feira, o deputado saiu muito satisfeito da primeira reunião da bancada do PSB. Durante a reunião, entre outros assuntos, ficou definido que caso o PSB não consiga presidir a Comissão de Turismo e Desporto na Câmara Federal, os deputados da bancada do Ceará irão decidir, entre eles, quem presidirá a comissão que ficar com o partido. Esse acordo pode garantir ao deputado Romário a presidência da Comissão de Turismo e Desporto em 2013.

“Decidimos por unanimidade que deixaremos de ser capachos do governo. Vamos votar naquilo que acreditamos. Quero dar parabéns a todos os deputados que assumiram esse compromisso e quero agradecer, em especial, a líder do partido, Sandra Rosado (RN), pela postura, carinho, elegância e competência com que vem atuando no meu partido. Bem diferente de outros líderes com mais tempo de política que já passaram pelo PSB. E to tocando o “F” se alguém ficar de biquinho para mim. Não conheço os lideres dos outros partidos, mas se forem como essa senhora, os partidos estão bem servidos. Agradeço a ela por tudo que tem feito pelo partido e por mim. Sou seu fã Sandra! Te admiro muito como deputada e como mulher nobre e forte que é.”, declarou o deputado.

Ainda indignado, Romário diz não entender algumas coisas que acontecem na política. “Meu partido é 100% governo e é incrível como que na hora de empenhar suas emendas todos os deputados reclamam. E o pior é que existem partidos que são oposição e as emendas desses parlamentares sempre são aceitas. Nada contra eles, mas isso é só uma pequena lembrança. Outra coisa que gostaria muito, é que o presidente do meu partido, Eduardo Campos, atendesse às minhas ligações. Têm dois meses que tento dar uma resposta que ele me pediu e até agora nada.”, concluiu o parlamentar.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247