Rui Costa Pimenta: liberdade de expressão é escutar muita coisa que você não gosta

Em entrevista à TV 247, o presidente do PCO, Rui Costa Pimenta, foi contra a decisão do STF de retirar reportagem do ar que citava o presidente da Corte, Dias Toffoli, que foi revogada nesta quinta-feira pelo ministro Alexandre de Moraes; "O STF é um dos pilares do golpe de Estado, isso inclusive mostra que a gente não deve tomar partido pelo STF. O que a gente deve mostrar é que há uma guerra, que é quase uma guerra de quadrilhas, e que é preciso uma ação própria e independente da população e trabalhadores", opina

Rui Costa Pimenta: liberdade de expressão é escutar muita coisa que você não gosta
Rui Costa Pimenta: liberdade de expressão é escutar muita coisa que você não gosta
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente do PCO, Rui Costa Pimenta, criticou a determinação do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, de retirar do ar reportagem da revista digital Crusoé, do site O Antagonista, que citava o presidente do STF, ministro Dias Toffoli. Nesta quinta-feira 18, Moraes recuou e revogou a decisão. Depois, portanto, do programa exibido na TV 247, na última terça-feira 16.

"No meio da luta entre os clãs do governo Bolsonaro eles vão aproveitando, curiosamente, para liquidar todo tipo de direito democrático que sobra. Essa questão da censura está muito longe de ser um caso isolado, censuraram esse blog de direita, 'O Antagonista', que é um lixo político total, e isso vai acabar com todo mundo sendo censurado. Vai se aprofundar a censura", disse o presidente.

Rui Costa Pimenta também recomendou cautela com o caso do comediante Danilo Gentili que foi condenado a 6 meses de prisão por ofender a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS). "Essa semana teve o caso do Danilo Gentili que deu uma certa controversa e a esquerda na minha opinião não sabe o que está fazendo, está perdida e deveria lutar em defesa da liberdade de expressão enquanto nós temos alguma liberdade de expressão, porque isso está sendo atacado em todos os lugares, nas escolas, universidades, jornais, em todo lugar".

O presidente do PCO ressalta que liberdade de expressão também inclui discursos que não agradam. "Liberdade de expressão implica em você escutar muita coisa que você não gosta porque tem muita gente que só fala porcaria. Agora, se a gente for selecionar não é liberdade de expressão".

Questionado sobre a diferença entre liberdade de expressão e "liberdade de agressão", Rui Costa Pimenta fez questão de distinguir os termos. "A gente tem que fazer uma distinção muito clara entre o cidadão que via lá e agride alguém e o cidadão que fala alguma coisa. Falar é expressar um pensamento, eu não tenho nenhum apreço por nenhum desses órgãos de direita, acho que tudo isso é uma coisa extraordinariamente negativa, agora se a gente vai abrir mão a liberdade de expressão para que eles não possam falar, vai acabar que nós também não vamos poder falar nada".

Sobre qual a posição mais democrática em meio à censura do STF, o presidente do PCO afirmou que não é o momento de tomar nesse sentido. "O STF é um dos pilares do golpe de Estado, isso inclusive mostra que a gente não deve tomar partido pelo STF. O que a gente deve mostrar é que há uma guerra, que é quase uma guerra de quadrilhas, e que é preciso uma ação própria e independente da população e trabalhadores. Acho que tem que tomar muito cuidado, não vejo que dê para chegar aqui e fala: 'a ação do STF é ruim mas é melhor que aquela outra'. O STF está dominado pelos militares golpistas".

O ministro do STF Marco Aurélio Mello classificou a censura aos portais O Antagonista e Crusoé como "retrocesso em termos democráticos". Para Rui, o comentário do ministro indica que a decisão da Corte foi exagerada. "Acho que o comentário do Marco Aurélio é mais no sentido de que é um erro, o pessoal forçou a mão. O Toffoli não faria isso, tem que ser uma coisa dos militares".

O presidente do PCO ainda comentou cobre o caos do governo do presidente Jair Bolsonaro. Para ele, a medida de suspensão da alta do diesel foi uma estratégia de Bolsonaro de enfraquecer uma possível greve dos caminhoneiros. "Ele não está fazendo isso em função de uma política coerente, ele fez para autopreservação. Tudo bem, é mais progressista você conter os preços em vez de sacrificar toda uma parcela da população com essa alta dos preços do combustível para satisfazer os interesses dos especuladores internacionais, não há dúvida nenhuma. Tomada isoladamente a medida seria positiva, seríamos inclusive a favor".

Outro dado citado por Rui foi a baixa do PIB no primeiro trimestre de 2019 com o governo bolsonarista. "A discussão anterior de todos os economistas é que o Brasil teria um pequeno crescimento, mas o primeiro trimestre negativo é uma inversão total de expectativas. Se o Brasil tiver um crescimento negativo a situação do governo vai ficar muito delicada".

Sobre o congelamento do salário mínimo, Rui Costa Pimenta prevê uma greve da classe trabalhadora no Brasil. "Se a situação continuar assim mais um pouco, já é até difícil de você dizer que não vai acontecer a qualquer momento, a situação é uma panela de pressão total. Se o governo não tiver nenhuma política para melhorar a panela de pressão está sem válvula de escape, vai explodir. A coisa está totalmente caótica, fora de controle".

Inscreva-se na TV 247 e assista à entrevista na íntegra:

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247