Se houver democracia, venceremos de novo, diz Dilma na Espanha

Em coletiva de imprensa em Sevilla, na Espanha, Dilma Rousseff defendeu nesta terça-feira 23 a candidatura do ex-presidente Lula em 2018. "Eu creio e desejo que ele seja candidato. Será importante para o Brasil", afirmou; "O primeiro golpe foi o meu impeachment. O segundo é impedir que Lula seja candidato", declarou; ela disse acreditar que Lula "ganharia as eleições por todas as suas realizações"; a presidente reafirmou que interromper a democracia foi a única maneira de o atual governo, de Michel Temer, implantar o programa neoliberal derrotado quatro vezes nas urnas; "Não podemos perder a democracia. E eu asseguro que se houver democracia, nós venceremos de novo", ressaltou

Em coletiva de imprensa em Sevilla, na Espanha, Dilma Rousseff defendeu nesta terça-feira 23 a candidatura do ex-presidente Lula em 2018. "Eu creio e desejo que ele seja candidato. Será importante para o Brasil", afirmou; "O primeiro golpe foi o meu impeachment. O segundo é impedir que Lula seja candidato", declarou; ela disse acreditar que Lula "ganharia as eleições por todas as suas realizações"; a presidente reafirmou que interromper a democracia foi a única maneira de o atual governo, de Michel Temer, implantar o programa neoliberal derrotado quatro vezes nas urnas; "Não podemos perder a democracia. E eu asseguro que se houver democracia, nós venceremos de novo", ressaltou
Em coletiva de imprensa em Sevilla, na Espanha, Dilma Rousseff defendeu nesta terça-feira 23 a candidatura do ex-presidente Lula em 2018. "Eu creio e desejo que ele seja candidato. Será importante para o Brasil", afirmou; "O primeiro golpe foi o meu impeachment. O segundo é impedir que Lula seja candidato", declarou; ela disse acreditar que Lula "ganharia as eleições por todas as suas realizações"; a presidente reafirmou que interromper a democracia foi a única maneira de o atual governo, de Michel Temer, implantar o programa neoliberal derrotado quatro vezes nas urnas; "Não podemos perder a democracia. E eu asseguro que se houver democracia, nós venceremos de novo", ressaltou (Foto: Ana Pupulin)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A presidente deposta Dilma Rousseff defendeu nesta terça-feira 23 em Sevilla, na Espanha, durante coletiva de imprensa, a candidatura do ex-presidente Lula em 2018. "Eu creio e desejo que ele seja candidato. Será importante para o Brasil", afirmou.

"O primeiro golpe foi o meu impeachment. O segundo é impedir que Lula seja candidato", declarou. Ela lembrou que o ex-presidente lidera as pesquisas de intenção de voto em primeiro turno, e disse acreditar que ele vencerá se for candidato. "Eu acho que ele ganharia as eleições por todas as suas realizações", declarou.

A presidente reafirmou que interromper a democracia foi a única maneira de o atual governo, de Michel Temer, implantar o programa neoliberal derrotado quatro vezes nas urnas. "Não podemos perder a democracia. E eu asseguro que se houver democracia, nós venceremos de novo", afirmou.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email