Senadores do PSB divulgam nota de repúdio contra anúncio de privatização da Eletrobras

A bancada do PSB no Senado divulgou nesta quinta-feira (24) uma nota de repúdio contra o anúncio de privatização da Eletrobras feito pelo governo Temer na segunda-feira (21); Lídice da Mata, João Capiberibe e Antônio Carlos Valadares consideram a ideia mais uma "iniciativa equivocada" da gestão Temer, numa afronta aos interesses e soberania nacionais 

A bancada do PSB no Senado divulgou nesta quinta-feira (24) uma nota de repúdio contra o anúncio de privatização da Eletrobras feito pelo governo Temer na segunda-feira (21); Lídice da Mata, João Capiberibe e Antônio Carlos Valadares consideram a ideia mais uma "iniciativa equivocada" da gestão Temer, numa afronta aos interesses e soberania nacionais 
A bancada do PSB no Senado divulgou nesta quinta-feira (24) uma nota de repúdio contra o anúncio de privatização da Eletrobras feito pelo governo Temer na segunda-feira (21); Lídice da Mata, João Capiberibe e Antônio Carlos Valadares consideram a ideia mais uma "iniciativa equivocada" da gestão Temer, numa afronta aos interesses e soberania nacionais  (Foto: Charles Nisz)

247 - Para os senadores do PSB, a privatização da Eletrobras vai "desmontar o modelo elétrico brasileiro, promover um encarecimento brutal das tarifas e tirar a competitividade brasileira em vários setores eletrointensivos". Em nota, divulgada nesta quinta-feira (24), Lídice da Mata (BA), João Capiberibe (AP) e Antonio Carlos Valadares (SE) afirmam que a decisão é "mais uma iniciativa equivocada do governo de Michel Temer, que afronta os interesses nacionais e a soberania de nosso País".

Na segunda-feira, (21), o governo anunciou a pretensão de privatizar a Eletrobrás. De acordo com o Ministério de Minas e Energia, a União permanecerá como acionista da companhia e receberá dividendos. Também manterá poder de veto na administração, preservando decisões consideradas estratégicas pelo governo no setor. 

Confira a nota na íntegra:
Os senadores do PSB abaixo firmados, manifestam seu repúdio ao anúncio da privatização da Eletrobras, com o objetivo de fazer caixa para o governo.
Essa é mais uma iniciativa equivocada do governo de Michel Temer, que afronta os interesses nacionais e a soberania de nosso país.
A justificativa de "democratização do capital" e a comparação com os processos adotados na Vale e na Embraer não é verdadeira. Vale e Embraer são empresas que disputam mercados. A Eletrobras é uma concessionária de serviços públicos essenciais, estratégica para o país.
A Eletrobras tem 47 usinas hidroelétricas, 114 térmicas e 69 eólicas, com capacidade de 47.000 MW, o que a faz provavelmente a maior geradora de energia elétrica do planeta. É uma empresa tão estratégica quanto a Petrobras.
A Eletrobras, que está sendo oferecida por 20 bilhões ao "mercado", exigiu investimentos calculados em R$ 400 bilhões do povo brasileiro, desde 1953.
A Eletrobras, alem de gerar energia, controla linhas de transmissão, seis distribuidoras e a Eletronuclear, empresa estratégica que controla as únicas usinas nucleares brasileiras.
Sua privatização, além de desmontar o modelo elétrico brasileiro, vai promover um encarecimento brutal das tarifas e tirar a competitividade brasileira em vários setores eletro intensivos.
A privatização da Eletrobras aumenta criminosamente nossa vulnerabilidade perante interesses comerciais estrangeiros e contraria os princípios programáticos do Partido Socialista Brasileiro (PSB), renega a nossa história e merece o repúdio de todos os nossos dirigentes, parlamentares e militantes.

Brasília, 24 de agosto de 2017
Senadora Lidice da Mata
Senador João Capiberibe
Senador Antonio Carlos Valadares

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247