Será que o Brasil encontrou seu Pepe Mujica?

Candidato à Presidência da República pelo Partido Verde, Eduardo Jorge abraçou a agenda uruguaia, defendendo legalização das drogas e aborto; ontem, no debate presidencial da Band, ele afirmou que a legislação atual do aborto é "cruel"; o candidato também defende que o uso da maconha tem de ser legalizado; o presidente do Uruguai, Pepe Mujica, se tornou conhecido mundialmente com ideias parecidas: descriminalizou o aborto no país e legalizou o plantio e uso da maconha; discurso de Eduardo Jorge gerou grande repercussão nas redes sociais na noite desta terça-feira

Candidato à Presidência da República pelo Partido Verde, Eduardo Jorge abraçou a agenda uruguaia, defendendo legalização das drogas e aborto; ontem, no debate presidencial da Band, ele afirmou que a legislação atual do aborto é "cruel"; o candidato também defende que o uso da maconha tem de ser legalizado; o presidente do Uruguai, Pepe Mujica, se tornou conhecido mundialmente com ideias parecidas: descriminalizou o aborto no país e legalizou o plantio e uso da maconha; discurso de Eduardo Jorge gerou grande repercussão nas redes sociais na noite desta terça-feira
Candidato à Presidência da República pelo Partido Verde, Eduardo Jorge abraçou a agenda uruguaia, defendendo legalização das drogas e aborto; ontem, no debate presidencial da Band, ele afirmou que a legislação atual do aborto é "cruel"; o candidato também defende que o uso da maconha tem de ser legalizado; o presidente do Uruguai, Pepe Mujica, se tornou conhecido mundialmente com ideias parecidas: descriminalizou o aborto no país e legalizou o plantio e uso da maconha; discurso de Eduardo Jorge gerou grande repercussão nas redes sociais na noite desta terça-feira (Foto: Ana Pupulin)

247 – Dentre muitos fatos que chamaram atenção no debate de ontem à noite na TV Band, certamente um deles foi o discurso do candidato do PV, Eduardo Jorge. O ambientalista levantou bandeiras polêmicas, como a defesa da legalização do aborto – acredita ser inadmissível a prática ser considerada crime em um país como o Brasil – e do uso da maconha, com uma ressalva: "com trabalho de prevenção e tratamento".

Foi ele quem levantou a discussão sobre o aborto, ao perguntar ao candidato do PSDB, Aécio Neves, o que ele pretendia fazer com a legislação. O senador tucano respondeu: "prefiro manter a legislação como está". Irritado em sua réplica, Eduardo Jorge declarou que "a legislação atual é cruel". Eduardo Jorge diz que as brasileiras que abortam sofrem na clandestinidade e ainda são taxadas de criminosas.

Sobre a maconha, o candidato, que ao se apresentar lembrou ser médico há 40 anos, disse ser favorável à legalização como forma de acabar com o tráfico de drogas. Segundo ele, a política atual antidrogas só beneficia os barões do crime. Já sobre o crack, ele afirmou ser contra a legalização. Nas considerações finais, Eduardo Jorge defendeu uma cultura de "paz e amor".

A postura do candidato lembra o presidente do Uruguai, Pepe Mujica, famoso mundialmente pelas mesmas bandeiras. Ele fez do país o segundo da América Latina a descriminalizar o aborto (o primeiro foi Cuba) e, no ano passado, legalizou o uso da maconha e o cultivo de pequenas quantidades da erva.

As bandeiras e o jeito espirituoso de se expressar do candidato do PV geraram grande repercussão nas redes sociais, com dezenas de memes. A expressão "Esse Eduardo Jorge" figurou na segunda posição entre os temas mais comentados mundialmente no Twitter. Os internautas também apontaram semelhanças entre Eduardo Jorge e o candidato do PSOL à Presidência em 2010, Plínio de Arruda Sampaio (morto em julho desse ano).

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247