Sessão do Congresso é suspensa após xingamentos e tumulto

A sessão que analisaria 10 vetos de Michel Temer a projetos aprovados pelo Legislativo foi suspensa por 10 minutos após confusão no plenário; após o deputado João Alberto, que conduzia a sessão, negar uma questão de ordem ao deputado Wewerton Rocha (PDT-MA), houve protestos por parte dos parlamentares da oposição e, exaltado, Rocha jogou uma cópia do regimento em cima do presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE); após o tumulto, Eunício retomou a votação do veto, permitindo que os demais líderes que ainda não tinham feito os encaminhamentos pudessem orientar suas bancadas e o painel foi reaberto para nova votação

A sessão que analisaria 10 vetos de Michel Temer a projetos aprovados pelo Legislativo foi suspensa por 10 minutos após confusão no plenário; após o deputado João Alberto, que conduzia a sessão, negar uma questão de ordem ao deputado Wewerton Rocha (PDT-MA), houve protestos por parte dos parlamentares da oposição e, exaltado, Rocha jogou uma cópia do regimento em cima do presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE); após o tumulto, Eunício retomou a votação do veto, permitindo que os demais líderes que ainda não tinham feito os encaminhamentos pudessem orientar suas bancadas e o painel foi reaberto para nova votação
A sessão que analisaria 10 vetos de Michel Temer a projetos aprovados pelo Legislativo foi suspensa por 10 minutos após confusão no plenário; após o deputado João Alberto, que conduzia a sessão, negar uma questão de ordem ao deputado Wewerton Rocha (PDT-MA), houve protestos por parte dos parlamentares da oposição e, exaltado, Rocha jogou uma cópia do regimento em cima do presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE); após o tumulto, Eunício retomou a votação do veto, permitindo que os demais líderes que ainda não tinham feito os encaminhamentos pudessem orientar suas bancadas e o painel foi reaberto para nova votação (Foto: Charles Nisz)

247 - A sessão do Congresso Nacional destinada a limpar a pauta e analisar 10 vetos presidenciais foi suspensa por 10 minutos por conta de um tumulto no plenário. Parlamentares cercaram a mesa diretora. A confusão foi iniciada quando o deputado Weverton Rocha (PDT-MA) pediu a palavra para apresentar uma questão de ordem durante a votação.

O senador João Alberto (PMDB-MA), que conduzia os trabalhos, rejeitou a questão de ordem sem ao menos ouvi-la. Deputados da oposição, inclusive do PDT, PT e PV, disseram que o regimento não estava sendo seguido. O presidente do Senado, Eunício Oliveira, então assumiu a direção da sessão e houve a reclamação que a votação foi encerrada sem que as bancadas tivessem sido orientadas.

Irritado Rocha jogou uma cópia do regimento em cima de Eunício, mas não atingiu o senador. Policiais legislativos cercaram a cadeira de Eunício. Houve empurra-empurra entre os parlamentares e também com os seguranças legislativos. O deputado Laerte Bessa (PR-DF) tentou empurrar Paulo Pimenta (PT-RS), que revidou. Eunício suspendeu a sessão, retomada após cerca de dez minutos, com os parlamentares já acalmados.

Após o tumulto, Eunício retomou a votação do veto, permitindo que os demais líderes que ainda não tinham feito os encaminhamentos pudessem orientar suas bancadas e o painel foi reaberto para nova votação.

Os vetos analisados
A sessão foi convocada para analisar vetos de Michel Temer a trechos de projetos aprovados pelo Legislativo. O intuito é liberar a pauta para votar o projeto que revisa as metas fiscais de 2017 e de 2018. Antes da confusão, os parlamentares haviam mantido a maior parte dos vetos. Para derrubar um veto, são necessários os votos de, pelo menos, 257 deputados e 41 senadores.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247