Temer articula estratégia para barrar denúncia de Janot

Michel Temer já começou a preparar uma estratégia para barrar a provável denúncia contra ele que será feita pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, no STF, na próxima semana; a ideia de Temer é agir para barrar o processo dentro do rito que o caso precisa cumprir no Congresso; diferentemente do pedido de impeachment, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, não tem o poder de rejeitar o processo; ao recebê-lo, precisa notificar o acusado e despachar para a Comissão de Constituição e Justiça; no plenário, porém, são necessários dois terços dos votos para que a denúncia avance; ou seja, com apenas 172 votos, Temer vence

Rodrigo Janot e Michel Temer
Rodrigo Janot e Michel Temer (Foto: Giuliana Miranda)

247 - No Congresso, é dado como certo que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentará denúncia contra Michel Temer no STF, na próxima semana. Por isso, Temer e seus aliados já se organizam para barrar o processo dentro do rito que o caso precisa cumprir no Parlamento.

Se a denúncia for aceita pelo STF, precisará ser aprovada pelo plenário da Câmara. É lá que está o pulo do gato do governo. No plenário, são necessários dois terços dos votos para que a denúncia avance. Ou seja, com apenas 172 votos, Temer vence.

Diferentemente do pedido de impeachment, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, não tem o poder de rejeitar o processo. Ao recebê-lo, precisa notificar o acusado e despachar para a Comissão de Constituição e Justiça.

A denúncia de Janot precisa, em primeiro lugar, ser aceita pelo ministro Edson Facchin, do STF. Mas o governo duvida que ele recuse o pedido.

As informações são da Coluna do Estadão.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247