Temer cria ministérios e dá foro privilegiado a Moreira Franco

No dia da escolha do relator da Lava Jato, Michel Temer decidiu criar dois novos ministérios e entregou um deles a um de seus principais aliados, Moreira Franco, que toca o programa de privatizações e foi delatado pela Odebrecht por propinas nas concessões dos aeroportos; segundo o porta-voz da presidência, Alexandre Parola, Moreira Franco comandará a Secretaria-Geral da Presidência; foi anunciada ainda a ampliação das atribuições do Ministério da Justiça, que passará a se chamar Ministério da Justiça e Segurança Pública, e a criação do Ministério dos Direitos Humanos

Michel Temer Moreira Franco
Michel Temer Moreira Franco (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governo de Michel Temer anunciou nesta quinta-feira 2 a criação de dois ministérios e delegou o comando de um deles a Moreira Franco, um dos principais aliados de Temer, que atualmente toca o programa de privatizações e foi delatado pela Odebrecht por propinas nas concessões dos aeroportos durante o governo Dilma Rousseff, quando era ministro da Aviação Civil.

Com a nomeação, Moreira Franco passa a ter foro privilegiado, no mesmo dia que foi escolhido, por sorteio, o novo relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, ministro Edson Fachin.

Segundo o porta-voz da presidência, Alexandre Parola, Moreira Franco comandará a Secretaria-Geral da Presidência. Parola anunciou ainda a ampliação das atribuições do Ministério da Justiça, que passará a se chamar Ministério da Justiça e Segurança Pública, e a criação do Ministério dos Direitos Humanos.

Leia mais na Agência Brasil:

Temer cria Ministério dos Direitos Humanos e Moreira Franco vira ministro

Paulo Victor Chagas - Em uma série de anúncios feitos há pouco no Palácio do Planalto, o presidente Michel Temer criou o Ministério dos Direitos Humanos, nomeou o peemedebista Moreira Franco para a Secretaria-Geral da Presidência, ampliou as atribuições do Ministério da Justiça e confirmou o deputado Antônio Imbassahy no comando da Secretaria de Governo, cargo antes ocupado pelo peemedebista Geddel Vieira Lima.

Atual secretário-executivo do Programa de Parceria de Investimentos, Wellington Moreira Franco será o novo ministro da Secretaria-Geral da Presidência, órgão que volta a ter status de ministério. A pasta acumulará as funções do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), da Secretaria de Comunicação e outras atividades administrativas do Planalto.

A secretária especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do Ministério da Justiça, a desembargadora Luislinda Valois, foi promovida a ministra dos Direitos Humanos. De acordo com o governo, a pasta foi criada por meio de medida provisória.

Os anúncios foram feitos pelo porta-voz da Presidência, Alexandre Parola. Com o objetivo de demonstrar que o governo é "parte ativa e atuante no combate à criminalidade", Parola informou também que o Ministério da Justiça e Cidadania terá suas atribuições ampliadas e passará a se chamar Ministério da Justiça e da Segurança Pública, continuando sob o comando de Alexandre de Moraes.

"Esse conjunto de iniciativas reforça a busca pela eficiência da gestão e o esforço de atender sempre melhor as demandas da sociedade em políticas concretas em benefício do povo brasileiro", afirmou Alexandre Parola.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247