Temer diz que derrota no Senado “passa ideia” de fim de governo

Michel Temer não escondeu a sua irritação com a derrota da reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado; segundo a coluna do Estadão, Temer achou que tinha votos para ganhar e "passou, de graça, a impressão de que está sem o controle de sua base e a ideia de fim de governo"; texto deve ser lido na CCJ nesta quarta-feira, 21

Michel Temer não escondeu a sua irritação com a derrota da reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado; segundo a coluna do Estadão, Temer achou que tinha votos para ganhar e "passou, de graça, a impressão de que está sem o controle de sua base e a ideia de fim de governo"; texto deve ser lido na CCJ nesta quarta-feira, 21
Michel Temer não escondeu a sua irritação com a derrota da reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado; segundo a coluna do Estadão, Temer achou que tinha votos para ganhar e "passou, de graça, a impressão de que está sem o controle de sua base e a ideia de fim de governo"; texto deve ser lido na CCJ nesta quarta-feira, 21 (Foto: Aquiles Lins)

Do Infomoney - O presidente Michel Temer está em viagem à Rússia e ficou sabendo de lá sobre a derrota do governo na CAS (Comissão de Assuntos Sociais) do Senado, que teve o relatório sobre a reforma trabalhista rejeitado por 10 votos a 9. Ontem à tarde, ele afirmou que a derrota é "muito natural", porque os projetos passam por várias comissões, onde se "ganha em uma comissão, perde na outra". Ao ser perguntado sobre se tinha convicção dessa vitória, Temer reiterou que não haverá derrota na votação final.

Porém, nos bastidores, Temer não escondeu a sua irritação com a derrota, segundo informa a coluna do Estadão, do jornal O Estado de S. Paulo. Ele achou que tinha votos para ganhar e passou, de graça, a impressão de que está sem o controle de sua base e a ideia de fim de governo. Vale ressaltar que um dos senadores que afirma estar a favor da reforma, Sérgio Petecão (PSD-AC), não compareceu à CAS por conta de um compromisso. O senador poderia ter garantido a vitória do governo na CAS, já que o suplente de Petecão - Otto Alencar (PSD-BA) - votou contra a reforma e garantiu a derrubada do relatório por apenas um voto de diferença.

Temer se irritou, mas também foi criticado. Segundo o Estadão, aliados do presidente afirmam que o governo teve "salto alto" e não checou se teria os votos para aprovar a proposta.

A derrota do parecer do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) ao projeto da reforma trabalhista não impedirá a continuidade da tramitação do projeto de reforma trabalhista. Porém, segundo a LCA Consultores, sinaliza que a crise pós JBS está sim interferindo na capacidade política do governo para levar adiante a agenda das reformas. Assim, Temer conseguiu sobreviver na Presidência, mas seu governo ficou numa situação instável e continua a ser alvo de investidas cotidianas da imprensa e da PGR.

"De qualquer forma, este resultado da CAS confirma a avaliação do Banco Central de que aumentou a incerteza quanto à evolução do processo de reformas e ajustes da economia", apontam os consultores.

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247