Temer pode nomear Aloysio Nunes, investigado por corrupção, embaixador em Paris

Michel Temer estuda nomear o senador e atual chanceler Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) para a Embaixada do Brasil em Paris. Segundo o colunista Elio Gaspari neste domingo, 18, Temer faria a mudança ao apagar das luzes de seu governo, retribuindo a "lealdade" que recebeu do tucano; "Uma vez em Paris, quase certamente ele seria mantido pelo novo presidente", diz Gaspari

Michel Temer estuda nomear o senador e atual chanceler Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) para a Embaixada do Brasil em Paris. Segundo o colunista Elio Gaspari neste domingo, 18, Temer faria a mudança ao apagar das luzes de seu governo, retribuindo a "lealdade" que recebeu do tucano; "Uma vez em Paris, quase certamente ele seria mantido pelo novo presidente", diz Gaspari
Michel Temer estuda nomear o senador e atual chanceler Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) para a Embaixada do Brasil em Paris. Segundo o colunista Elio Gaspari neste domingo, 18, Temer faria a mudança ao apagar das luzes de seu governo, retribuindo a "lealdade" que recebeu do tucano; "Uma vez em Paris, quase certamente ele seria mantido pelo novo presidente", diz Gaspari (Foto: Aquiles Lins)

247 - Michel Temer estuda nomear o senador e atual chanceler Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) para a Embaixada do Brasil em Paris. Segundo o colunista Elio Gaspari na Folha de S. Paulo deste domingo, 18, Temer faria a mudança ao apagar das luzes de seu governo, retribuindo a "lealdade" que recebeu do tucano.

"Uma vez em Paris, quase certamente ele seria mantido pelo novo presidente", diz Gaspari. O colunista diz também que o retorno de Aloysio Nunes a Paris contará uma grande história.

"Em 1968, ele chegou à França fugindo da polícia. Era o 'Mateus', eventual motorista de Carlos Marighella e participara de dois assaltos. Durante um breve período, ele foi o embaixador da Ação Libertadora Nacional na França. Na sua segunda embaixada, Nunes Ferreira não passará pelas ansiedades de 'Mateus'", diz ele. 

"Aloysio sabia da propina"

O ex-diretor da OAS para obras do Rodoanel Sul em São Paulo, Carlos Henrique Barbosa Lemos, sugeriu que a empreiteira pagou propina ao ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza, conhecido como 'Paulo Preto', com o conhecimento do então chefe da Casa Civil Paulista e atual chanceler Aloysio Nunes Ferreira, a título de "caixa de campanha" e pelo intermédio da empresa Legend Associados, do empresário Adir Assad.

"Ao perceber que Aloysio Nunes Ferreira seguiu especificamente aquilo que havia sido informado por Paulo Vieira de Souza, o depoente não teve dúvidas de que este (Paulo Vieira de Souza) de fato falava em nome do governo de São Paulo", registra o termo de declarações do ex-diretor da OAS, já remetido à Procuradoria-Geral da República (PGR) (leia mais).

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247