Temer, que fugiu de todas as vaias, falará de sua coragem e empregos na TV

Michel Temer, rejeitado por 77% dos brasileiros, segundo pesquisa Ipsos, também gastará uma pequena fortuna com uma campanha fraudulenta na televisão; na peça publicitária que já foi aos jornais, em que afirma estar há 120 dias do poder (quando na verdade são 230), Temer fala de sua "coragem" para fazer reformas que criam empregos no País; a realidade, no entanto, é bem diferente; o caos produzido pelo golpe já desempregou milhões de brasileiros e Temer, como lembrou o colunista Bernardo Mello Franco, não pode falar de coragem porque fugiu de todos os eventos aos quais estaria submetido a risco de vaias, como o encerramento da Rio 2016

Michel Temer, rejeitado por 77% dos brasileiros, segundo pesquisa Ipsos, também gastará uma pequena fortuna com uma campanha fraudulenta na televisão; na peça publicitária que já foi aos jornais, em que afirma estar há 120 dias do poder (quando na verdade são 230), Temer fala de sua "coragem" para fazer reformas que criam empregos no País; a realidade, no entanto, é bem diferente; o caos produzido pelo golpe já desempregou milhões de brasileiros e Temer, como lembrou o colunista Bernardo Mello Franco, não pode falar de coragem porque fugiu de todos os eventos aos quais estaria submetido a risco de vaias, como o encerramento da Rio 2016
Michel Temer, rejeitado por 77% dos brasileiros, segundo pesquisa Ipsos, também gastará uma pequena fortuna com uma campanha fraudulenta na televisão; na peça publicitária que já foi aos jornais, em que afirma estar há 120 dias do poder (quando na verdade são 230), Temer fala de sua "coragem" para fazer reformas que criam empregos no País; a realidade, no entanto, é bem diferente; o caos produzido pelo golpe já desempregou milhões de brasileiros e Temer, como lembrou o colunista Bernardo Mello Franco, não pode falar de coragem porque fugiu de todos os eventos aos quais estaria submetido a risco de vaias, como o encerramento da Rio 2016 (Foto: Leonardo Attuch)

247 – A campanha publicitária fraudulenta do Palácio do Planalto, que, segundo o blog Tijolaço, foi criada apenas para dar um sorvete Haagen Dazs aos grupos de mídia que se associaram ao golpe de 2016 (leia aqui), chegará também à televisão nesta sexta-feira.

Como foi demonstrado pelo 247, Temer gastou alguns milhões para mentir à população, dizendo estar no poder há apenas 120 dias, quando, na realidade, passou a ocupar a presidência na sexta-feira 13 de maio de 2016 (leia aqui).

Na televisão, serão contadas outras mentiras. Na inserção de meio minuto, o governo federal ressalta que tem tomado medidas que resolvem "graves problemas", "criando empregos" e "devolvendo a confiança" ao país.

No entanto, a realidade é muito diferente. Na quinta-feira (29), o IBGE divulgou que o desemprego chegou a 11,9% no trimestre encerrado em novembro, taxa mais elevada já registrada da série histórica da pesquisa, iniciada em 2012.

"O Brasil precisa de reformas que não podem esperar e o governo federal tem a coragem de fazer o que outros governos não fizeram, tomando medidas que resolvem graves problemas, criando empregos e oportunidades e devolvendo a confiança", diz a propaganda.

No entanto, indicadores de confiança do consumidor e da indústria também recuaram aos menores níveis da série histórica com Temer no poder. 

À exceção da inflação, que caiu em razão do colapso do mercado de consumo no Brasil, praticamente todos os indicadores econômicos pioraram com Temer.

Outro aspecto fraudulento da propaganda é o argumento da coragem, como apontou nesta sexta-feira o colunista Bernardo Mello Franco. Ele lembrou que Temer não pode falar de coragem porque fugiu de todos os eventos aos quais estaria submetido a risco de vaias, como o encerramento da Rio 2016.

Temer também mentiu sobre seu tempo no poder, na fala em rede nacional em plena noite de Natal. Confira abaixo:

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247