Temer quer impedir que Lava Jato chegue ao governo

Ordem expressa do presidente interino é para que ministros que estejam envolvidos em denúncias se demitam; caso contrário, serão demitidos; irritado com a saída de Henrique Alves do Turismo, se antecipando a denúncias que virão, Michel Temer teria orientado Eliseu Padilha e Geddel Vieira Lima em reunião nesta sexta-feira para que conversem com integrantes do primeiro escalão sobre qualquer envolvimentos que possam ter; estratégia é blindar o governo de novas denúncias, depois de três quedas na equipe em apenas 35 dias; Planalto avalia que houve desgaste, mas que ainda é possível estancar a crise

Brasília- DF 16-06-2016 Presidente interino, Michel Temer e o ministro da educação, Mendonça filho anunciando prorrogação do FIES. Foto Lula Marques/Agência PT
Brasília- DF 16-06-2016 Presidente interino, Michel Temer e o ministro da educação, Mendonça filho anunciando prorrogação do FIES. Foto Lula Marques/Agência PT (Foto: Gisele Federicce)

247 - A prioridade que figura no topo da lista do Palácio do Planalto é impedir que a Lava Jato atinja ainda mais o governo.

A ordem expressa do presidente interino, Michel Temer, é para que ministros que estejam envolvidos em denúncias se demitam. Caso contrário, serão demitidos.

Irritado com a saída de Henrique Alves do Turismo, se antecipando a denúncias que virão, Temer teria orientado Eliseu Padilha e Geddel Vieira Lima em reunião nesta sexta-feira para que conversem com integrantes do primeiro escalão sobre qualquer envolvimentos que possam ter, informa reportagem do Globo.

A estratégia é blindar o governo de novas denúncias, depois de três quedas na equipe em apenas 35 dias. O Planalto avalia que houve desgaste, mas que ainda é possível estancar a crise.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247