Temer quer ter Paulinho como sua ponte com movimentos sociais

Dando a consumação do golpe como favas contadas, o vice Michel Temer estaria escalando seu time para dialogar com os vários segmentos da sociedade; Temer conversou com o presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força (SP), para intermediar o contato com movimentos sociais; vice-presidente recebeu a bancada do Solidariedade na manhã de sexta-feira, 15; coordenador do MTST, Guilherme Boulos, já avisou que o governo Temer sofrerá ações radicais; "Se um governo quer acabar com o Minha Casa, Minha Vida, extinguindo o subsídio público, como você acha que vai ser a reação das seis milhões de famílias que não têm moradia? Fazer ocupação", disse

Dando a consumação do golpe como favas contadas, o vice Michel Temer estaria escalando seu time para dialogar com os vários segmentos da sociedade; Temer conversou com o presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força (SP), para intermediar o contato com movimentos sociais; vice-presidente recebeu a bancada do Solidariedade na manhã de sexta-feira, 15; coordenador do MTST, Guilherme Boulos, já avisou que o governo Temer sofrerá ações radicais; "Se um governo quer acabar com o Minha Casa, Minha Vida, extinguindo o subsídio público, como você acha que vai ser a reação das seis milhões de famílias que não têm moradia? Fazer ocupação", disse
Dando a consumação do golpe como favas contadas, o vice Michel Temer estaria escalando seu time para dialogar com os vários segmentos da sociedade; Temer conversou com o presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força (SP), para intermediar o contato com movimentos sociais; vice-presidente recebeu a bancada do Solidariedade na manhã de sexta-feira, 15; coordenador do MTST, Guilherme Boulos, já avisou que o governo Temer sofrerá ações radicais; "Se um governo quer acabar com o Minha Casa, Minha Vida, extinguindo o subsídio público, como você acha que vai ser a reação das seis milhões de famílias que não têm moradia? Fazer ocupação", disse (Foto: Aquiles Lins)

247 - O vice-presidente Michel Temer dá como favas contadas a consumação do golpe contra a presidente Dilma Rousseff e já estaria escalando seu time para dialogar com os vários segmentos da sociedade. 

Segundo dois deputados do Solidariedade ouvidos pelo Estado, Temer conversou com o presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força (SP), para intermediar o contato com movimentos sociais. O vice-presidente recebeu a bancada do Solidariedade na manhã de sexta-feira, 15.

Se depender de alguns dos principais integrantes de movimentos, como a Central Única dos Trabalhadores (CUT), Movimentos dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), a iniciativa tende a fracassar. 

O coordenador do MTST, Guilherme Boulos, já avisou que o governo Temer, se vier a ocorrer, vai padecer de um questionamento de legitimidade, de alguém que não foi eleito no voto direto e tem 1% das intenções de voto. "Junto com o golpe vem um pacote de devassa nos direitos sociais, trabalhistas. Isso intensificará mobilizações e aprofundamento do conflito social". "Se um governo quer acabar com o Minha Casa, Minha Vida, extinguindo o subsídio público, como você acha que vai ser a reação das seis milhões de famílias que não têm moradia? Fazer ocupação", disse Boulos (leia mais).

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247