Tijolaço: Alckmin terá “paquitos” para ser “jovem”? Vão aplicar botox no Temer?

Jornalista Fernando Brito, do Tijolaço, faz referência à matéria da Folha, segunda a qual o "centrão" pretende "pôr rostos jovens" na linha de frente da campanha de Geraldo Alckmin (PSDB); "Não haverá outro caminho" para o tucano senão o de se mostrar conservador nos costumes, como é de fato", diz o jornalista

Tijolaço: Alckmin terá “paquitos” para ser “jovem”? Vão aplicar botox no Temer?
Tijolaço: Alckmin terá “paquitos” para ser “jovem”? Vão aplicar botox no Temer? (Foto: Beto Barata - PR)

Por Fernando Brito, do Tijolaço - Curiosa a reportagem de Thais Bilenky na Folha, dizendo que “o centrão quer nacionalizar a imagem de Geraldo Alckmin (PSDB), considerado paulista e tucana demais”.  Para isso, relata o texto, pretendem “afrouxar a raiz de Alckmin, em São Paulo” e “a pôr rostos jovens na linha de frente da campanha como articuladores e formuladores do programa de governo”.

Curioso porque o “centrão”, de mala e cuia, amancebou-se com Michel Temer no governo, numa paixão “jovem” destas de fazer ciúmes na D. Marcela.

Aboletados nos ministérios e cargos na Esplanada, DEM, PP, PR, PRB,PSD, PSC e outras saladas de letras acaso aderiram à “Ponte para o Futuro” do vice golpista por conta da sua juventude ou na dos seus “articuladores e formuladores” de programa de governo.

De juvenil, acredite, Alckmin só pode usar o famoso “não fui eu” em relação ao golpe e, como no caso da tradicional disputa, poucos acreditarão.

Isso só pode resultar numa campanha ridícula, como aquela “favela cenográfica” montada por José Serra em 2010. Agora, a versão jovem dos tucanos, talvez com “paquitos”, tipo Kim ou Holiday? Um “Geraldinho” no lugar de um Aecinho? Alckmin na “balada” vai ser encantador…

O mais fatal, porém, se isso fosse “para valer” e não apenas uma forma do centrão se mostrar cantando de galo com o tucano é a ideia de “afrouxar a raiz de Alckmin em São Paulo”.

Qualquer análise de marketing vai apontar que é justamente este um dos  poucos  pontos fortes de Geraldo Alckmin e algo que ele não pode desprezar, ainda mais porque a sua situação em terras paulistanas é muito ruim: perde para Lula e para Jair Bolsonaro, segundo as pesquisas, no eleitorado do Estado de São Paulo. Ponto forte que, claro, tem suas limitações no restante do país, especialmente no Nordeste.

Ao contrário, não haverá outro caminho para Geraldo Alckmin senão o de se mostrar conservador nos costumes, como é de fato, e respaldar-se na força econômica de seu Estado. E é assim porque o alvo prioritário do tucano deverá ser o de capturar o eleitor de Bolsonaro, justamente o candidato que sufocou com a adesão do centrão.

De resto, é querer atrair a juventude oferecendo suflê de chuchu.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247