CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Poder

TJ-SP identifica mais quatro pagamentos milionários a juízes

Fbio Gouva, Tarcsio Ferreira Vianna Cotrim, Roberto Bellocchi (foto) e Alceu Penteado Navarro, que ocuparam a Comisso de Oramento e Finanas da corte, so investigados pelo suposto recebimento privilegiado de at R$ 1,5 milho em verbas atrasadas

TJ-SP identifica mais quatro pagamentos milionários a juízes (Foto: Divulgação)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - Os magistrados Fábio Gouvêa e Tarcísio Ferreira Vianna Cotrim, do Tribunal de Justiça de São Paulo, que ocuparam a Comissão de Orçamento e Finanças da corte são alvo de investigação pelo suposto recebimento privilegiado de cerca R$ 600 mil de verbas atrasadas, cada um, dos cofres do TJ, entre 2006 e 2010.

Roberto Bellocchi (2008-2009) também foi beneficiário de um pagamento sob apuração pelo tribunal paulista, no valor de R$ 1,5 milhão. No mesmo período, o desembargador do TJ e atual presidente do TRE (Tribunal Regional Eleitoral), Alceu Penteado Navarro recebeu cerca de R$ 400 mil e está sendo investigado por suposta violação aos princípios da isonomia e da impessoalidade, como revelado pela Folha ontem.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Alceu Penteado Navarro negou irregularidade no recebimento de R$ 400 mil dos cofres do TJ e disse que os recursos foram usados para pagar médicos e comprar remédios. Por meio da assessoria de imprensa do TRE, o desembargador afirmou que "o valor recebido refere-se a despesas médias e custeio de remédios de uso continuado por seus familiares".

Os desembolsos milionários feitos aos quatro desembargadores e ao ex-presidente do TJ Antonio Carlos Viana Santos, morto em janeiro de 2011, formam o quadro dos cinco casos mais graves em apuração.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Como antecipado ontem pelo Brasil 247, outros 24 desembargadores que tiveram recebimentos fora do padrão do tribunal também estão sendo convocados a prestar explicações. As quitações feitas a esse grupo não superam R$ 400 mil para cada um.

Segundo o presidente do TJ, Ivan Sartori, os desembolsos sob investigação referem-se a verbas devidas aos magistrados, a título de auxílio-moradia, indenizações por férias ou licenças não gozadas.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

 

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247,apoie por Pix,inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO