Triplex de Lula no Guarujá era invenção do Globo

Reportagem sensacionalista do jornal O Globo, publicada há uma semana, tratava da suposta entrega de um triplex ao ex-presidente Lula na Praia das Astúrias, no Guarujá, pela empreiteira OAS; "De sua ampla sacada, poderá ver a queima de fogos, que acontece na orla bem defronte do seu prédio, feito pela OAS, empresa investigada pela Operação Lava-Jato", dizia a reportagem; o problema: nem Lula, nem Marisa Letícia são donos do imóvel; têm apenas uma cota do empreendimento e poderão adquiri-lo, ou não, nas mesmas condições oferecidas aos outros cooperados; leia a nota divulgada nesta sexta pelo Instituto Lula 

Reportagem sensacionalista do jornal O Globo, publicada há uma semana, tratava da suposta entrega de um triplex ao ex-presidente Lula na Praia das Astúrias, no Guarujá, pela empreiteira OAS; "De sua ampla sacada, poderá ver a queima de fogos, que acontece na orla bem defronte do seu prédio, feito pela OAS, empresa investigada pela Operação Lava-Jato", dizia a reportagem; o problema: nem Lula, nem Marisa Letícia são donos do imóvel; têm apenas uma cota do empreendimento e poderão adquiri-lo, ou não, nas mesmas condições oferecidas aos outros cooperados; leia a nota divulgada nesta sexta pelo Instituto Lula 
Reportagem sensacionalista do jornal O Globo, publicada há uma semana, tratava da suposta entrega de um triplex ao ex-presidente Lula na Praia das Astúrias, no Guarujá, pela empreiteira OAS; "De sua ampla sacada, poderá ver a queima de fogos, que acontece na orla bem defronte do seu prédio, feito pela OAS, empresa investigada pela Operação Lava-Jato", dizia a reportagem; o problema: nem Lula, nem Marisa Letícia são donos do imóvel; têm apenas uma cota do empreendimento e poderão adquiri-lo, ou não, nas mesmas condições oferecidas aos outros cooperados; leia a nota divulgada nesta sexta pelo Instituto Lula  (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

"O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já pode passar o “reveilon” na Praia das Astúrias, no Guarujá, área nobre do litoral Sul de São Paulo. De sua ampla sacada, poderá ver a queima de fogos, que acontece na orla bem defronte do seu prédio, feito pela OAS, empresa investigada pela Operação Lava-Jato. É que na semana passada terminaram as obras de reforma do apartamento triplex no Edifício Solaris, que ele e dona Marisa Letícia, sua mulher, compraram por meio da Bancoop — a Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo —, ainda na planta, em 2006. Acusada de irregularidades e em crise financeira, a Bancoop deixou três mil famílias sem receber os sonhados apartamentos."

Assim começava uma reportagem do jornal O Globo, publicada há uma semana (leia aqui), sobre a entrega de um imóvel que foi transferido pela Bancoop à construtora OAS. O problema: Lula e Marisa Letícia não são donos do triplex. Compraram uma cota do imóvel e poderão, agora, decidir se irão adquiri-lo, ou não, nas mesmas condições oferecidas a todos os cooperados. Leia, abaixo, nota postada por Lula em seu Facebook:

Nota sobre o suposto apartamento de Lula no Guarujá

Dona Marisa Letícia Lula da Silva adquiriu, em 2005, uma cota de participação da Bancoop, quitada em 2010, referente a um apartamento, que tinha como previsão de entrega 2007. Com o atraso, os cooperados decidiram em assembleia, no final de 2009, transferir a conclusão do empreendimento à OAS. A obra foi entregue pela construtora em 2013. Neste processo, todos os cooperados puderam optar por pedir ressarcimento do valor pago ou comprar um apartamento no empreendimento. À época, Dona Marisa não optou por nenhuma destas alternativas esperando a solução da totalidade dos casos dos cooperados do empreendimento. Como este processo está sendo finalizado, ela agora avalia se optará pelo ressarcimento do montante pago ou pela aquisição de algum apartamento, caso ainda haja unidades disponíveis. Qualquer das opções será exercida nas mesmas condições oferecidas a todos os cooperados.

Assessoria de Imprensa
Instituto Lula

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247