UDN, legenda da ditadura militar, diz que está de "braços abertos" para receber o clã Bolsonaro

“Estamos de braços abertos para a família Bolsonaro”, disse o fundandor e presidente da UDN – reedição da antiga União Democrática Nacional da época da ditadura militar -, Marcus Alves que tem conversado com interlocutores do clã Bolsonaro

Clã Bolsonaro: Flávio, Jair, Eduardo e Carlos
Clã Bolsonaro: Flávio, Jair, Eduardo e Carlos (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Após Jair Bolsonaro escancarar a sua disposção em sair do PSL, atacando o presidente nacional da legenda, Luciano Bivar dizendo que "ele está queimado" e depois afirmar que o partido pode "queimar seu filme também", o fundandor e presidente da UDN –  reedição da antiga União Democrática Nacional da época da ditadura militar que está em fase final de criação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) -, Marcus Alves disse que a sigla está de portas aberta ao clã.

“Estamos de braços abertos para a família Bolsonaro”, disse Alves, que tem conversado com interlocutores do clã Bolsonaro desde fevereiro. Aliados da família contam que outra opção é o Patriotas, partido que chegou a negociar com Bolsonaro antes das eleições.

A UDN foi um partido braço político da ditura militar. Foi fundado em 1945, opositor às políticas e à figura de Getúlio Vargas e de orientação ultra-conservadora. O partido foi extinto pelos militares no período da ditadura, assim como todos os partidos políticos.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email