Vai que é sua, Danrlei!

Deputado e ex-goleirodo Grmio, que estava no PTB, o primeiro a aderir ao PSD de Kassab depois de o TSE aprovar a criao da sigla e vai comandar a nova legenda no RS. So esperadas maisseis adeses dedeputadosao PSD nos prximos dias

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O ex-goleiro do Grêmio e deputado federal Danrlei de Deus (RS) foi um dos deputados a engrossar o PSD após o partido ter obtido o registro junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ele compareceu à reunião da Executiva do partido hoje cedo e disse que mudou de partido para ter mais independência. O parlamentar deixa o PTB.

"O que me levou a mudar foi principalmente a questão de ter a possibilidade de ter independência e uma voz ativa nas decisões. A possibilidade de o partido te dar liberdade para votar sim ou não de acordo com a sua cabeça é importante", disse o deputado.

Danrlei vai comandar o novo partido no Rio Grande do Sul. Ele afirma que vai buscar "gente nova" na política para reforçar o PSD. "O partido está voltado a trabalhar uma nova política. Como sou novo na política, tenho essa vontade de fazer diferente", declarou.

O ex-goleiro reclamou que no PTB não tinha muita possibilidade de manifestar suas opiniões, principalmente em relação ao Rio Grande do Sul, onde a legenda apoia o governador Tarso Genro (PT). "O PTB é mais fechado. No meu caso, como sou parlamentar novo, diziam que as coisas eram assim e pronto. Não tinha muita participação, isso até mais regionalmente que aqui em Brasília", explicou.

O PSD tem como principal liderança o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. A expectativa é que nos próximos 30 dias o partido supere o número de 50 deputados e possa se colocar como terceira força na Câmara.

Qualquer um

Kassab afirmou nesta quarta-feira que a nova legenda é "plural" e está aberta a alianças. O partido obteve ontem o registro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e já reuniu hoje pela manhã sua Executiva. "Estamos abertos a alianças com qualquer um. O que irá nortear as nossas alianças são nossos princípios e a nossa conduta", disse Kassab.

Ele afirmou que o objetivo de um partido é sempre chegar ao poder, mas afirmou que alianças são "naturais e necessárias". O partido definiu que um parlamentar só poderá assinar um pedido de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) se houver deliberação da bancada.

Segundo Kassab, cerca de 80 deputados federais participaram de conversas com o PSD e aproximadamente 50 devem se filiar à nova legenda. No Senado, além de Kátia Abreu (TO) e Sérgio Petecão (AC), o partido espera mais adesões. Quem tem mandato e deseja entrar no PSD sem o risco de perdê-lo precisa aderir no prazo de até 30 dias. Para quem deseja disputar eleição, porém, o prazo é de até 7 de outubro.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247