Wadih: o impeachment de Bolsonaro é urgente e necessário

O advogado Wadih Damous, que foi deputado e presidiu a OAB-RJ, defende a construção de uma frente de partidos para apresentar um pedido de impeachment de Jair Bolsonaro, que, nesta segunda-feira, quebrou o decoro que o cargo exige, ao se vangloriar do assassinato de Fernando Santa Cruz, desaparecido político e pai do atual presidente da OAB, Felipe Santa Cruz. "O Brasil é hoje presidido por um moleque desqualificado", diz Wadih, que afirma que a esquerda não deve temer o que virá pela frente

(Foto: Gustavo Bezerra)

247 – O impeachment de Jair Bolsonaro é um imperativo da sociedade brasileira, mesmo que a consequência seja um governo do atual vice-presidente, o general Hamilton Mourão. A avaliação foi feita pelo advogado e ex-deputado Wadih Damous, em entrevista à TV 247. "Bolsonaro já cometeu vários crimes de responsabilidade e hoje ultrapssou todos os limites ao ofender a memória de um desaparecido político", afirmou. Wadih refere-se à declaração de que Bolsonaro sabe como Fernando Santa Cruz, pai de Felipe Santa Cruz, atual presidente da OAB, foi assassinado. "Este sujeito está destruindo o Brasil e o que resta da nossa reputação", afirma.

Segundo Damous, a esquerda não deve se prender ao cálculo político de que um eventual governo do vice Hamilton Mourão seria pior. "O impeachment seria um basta a isso que está aí. Se o Mourão vier na mesma linha, também sofrerá resistência", afirma. Wadih diz ainda que Bolsonaro precisa ser detido e que nada pode ser pior do que a sua figura. Nesta segunda-feira, a fala de Bolsonaro foi repudiada por lideranças de vários partidos, como Dilma Rousseff, Gleisi Hoffmann e Paulo PImenta, do PT,  João Doria, do PSDB, Marina Silva, da Rede, e Guilherme Boulos e Ivan Valente, do Psol.

Confira abaixo a entrevista de Wadih:

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247