Agnelo diz ser amigo de denunciante

Ex-funcionrio de um laboratrio de medicamentos, Daniel Tavares teria acusado o governador do DF de receber propinas para liberar certificados na Anvisa. Este desqualificou deputada do PSD que diz ter gravado a denncia

Noelle Oliveira_Brasília 247 – O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, desqualificou na manhã desta terça-feira (8) as denúncias feitas pela deputada distrital Celina Leão (PSD) envolvendo seu nome. A parlamentar afirma ter ouvido depoimento de Daniel Almeida Tavares, ex-representante do laboratório União Química, que teria denunciado o pagamento de propinas a Agnelo quando o governante ainda dirigia a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O denunciante apresentou documento em que comprova transferência de R$ 5 mil, em janeiro de 2008, para a conta bancária de Agnelo.

No mesmo dia em que a quantia caiu na conta do governador, 25 de janeiro de 2008, a União Química obteve da Anvisa um certificado que assegurava o registro de seus medicamentos e a participação em licitações. Na época, Agnelo era o responsável por conceder o certificado. Visivelmente irritado, o governador considerou a denúncia mais uma montagem para agredi-lo. "Não pode dar crédito para gente do tipo que fez essa denúncia, tem de ter cuidado com isso, com montagem", disse o governador no Palácio do Planalto, após cerimônia de lançamento do Melhor em Casa – Serviço de Atenção Domiciliar do SUS –, que teve a presença da presidente Dilma Rousseff.

Diferentemente do que disse à revista Veja em julho, quando a mesma denúncia foi apresentada, Agnelo afirmou que é amigo de Daniel Tavares e não soube explicar por que, diante da amizade, o colega o estaria denunciando. "O Daniel era uma pessoa amiga minha, que foi militante há anos no PC do B", disse. "Ele trabalhava com um grande amigo meu há 20 anos", complementou, referindo-se a Fernando de Castro Marques, dono da União Química. Para a Veja, Agnelo afirmou que conhecia Tavares "apenas de reuniões oficiais".

O governador sustentou a mesma versão divulgada em nota oficial pela Secretaria de Comunicação de que os R$ 5 mil depositados por Tavares em sua conta seriam referentes ao pagamento de um empréstimo de caráter pessoal. "Como não tem uma denúncia na cidade e estou colocando um monte de empresas que estavam na corrupção como inidôneas, essas pessoas utilizam os seus apoiadores na Câmara Legislativa para continuar a mesma prática", acusou o governador.

Agnelo Queiroz viaja na tarde desta terça-feira (8) a São Paulo. A Secretaria de Comunicação não informou o motivo. A deputada Celina Leão analisa com uma equipe técnica jurídica o que fará com o registro das denúncias que colheu de Daniel Tavares. Pela manhã, ela esteve no Congresso Nacional e conversou com a executiva do DEM, partido que vai ingressar nesta quarta-feira (9) com pedido de impeachment contra Agnelo. As denúncias contra o governador prometem ser pauta na Câmara Legislativa durante a sessão da tarde desta terça-feira. O distrital Chico Vigilante (PT) já adiantou que usará a tribuna do plenário para defender Agnelo.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247