Base aliada protege Agnelo

Requerimento de audincia pblica para convidar o governador a se explicar na Cmara dos Deputados foi rejeitado por dez votos a seis. Reguffe quer investigao

Naira Trindade_ Brasília247 – Os governistas não querem expor o governador Agnelo Queiroz na Câmara dos Deputados. Dez deputados da base aliada ao governo federal rejeitaram nesta tarde (9) os três requerimentos de audiência pública apresentados à Comissão de Fiscalização e Controle para o governador, que é do PT, se explicar no plenário da Casa. Foram dez votos a seis.

"Estão tentando proteger o governador, mas se ele não tem nenhuma culpa, deveria vir a essa Casa se explicar porque é governador da capital do país e precisa se explicar a todos os brasileiros", argumenta o autor de um dos requerimentos, o deputado Izalci Lucas (PR-DF), que assinou o pedido com o presidente da Comissão de Fiscalização e Controle, Nilson Leitão (PSDB-MT). Os deputados Fernando Francischini (PSDB-PR) e Onyx Lorenzoni (DEM-RS) também tinham protocolado o mesmo pedido na comissão.

Na semana que vem, Nilson Leitão pretende colocar na pauta outro requerimento de audiência pública que convida toda a equipe que trabalha no programa Segundo Tempo a dar explicações sobre as suspeitas de desvios de recursos públicos. "É uma vergonha essa estratégia de achar que a queda do ministro virou a página do problema porque e ele não deixou de existir", reclamou o presidente da comissão. "Isso traz um desânimo para a população."

O deputado Fernando Francischini, delegado da Polícia Federal licenciado, cobra investigações sobre a suspeita de que o governador se beneficiou do esquema de corrupção no Ministério do Esporte e ainda ajudou João Dias, o policial militar delator do esquema, a fraudar provas para se defender das denúncias de desvio de dinheiro.

O pedetista José Antônio Reguffe – que é da base governista – também cobra investigações rigorosas no suposto esquema de corrupção instalado no Ministério do Esporte. "Tudo deve ser muito bem investigado, doa a quem doer, porque as denúncias são muito sérias." Reguffe diz que a bancada do Distrito Federal na Câmara dos Deputados ainda não se posicionou sobre as denúncias contra Agnelo, mas considera que o governador deve, sim, se explicar à população.

A bancada do Distrito Federal no Senado evita comentar as acusações ao governador Agnelo Queiroz. O senador Rodrigo Rollemberg (PSB) limitou-se a dizer que as investigações devem seguir no Superior Tribunal de Justiça, "que é a instância mais adequada e com condições para investigar as denúncias". Os senadores Gim Argello (PTB) e Cristovam Buarque (PDT) não comentaram as acusações.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247