Bolsonaro chamou chefe da PF fora da agenda após indiciamento de ministro do Turismo

O encontro ocorreu às 17h da última sexta-feira, mesmo dia em que o minstro Marcelo Alvaro Antonio, do Turismo, foi indiciado pelo laranjal do PSL. Depois do encontro, Bolsonaro anunciou que suspenderia as peças de propaganda do pacote anticrime, defendido por Moro, que é o chefe direto de Valeixo

SONY DSC
SONY DSC (Foto: SINPECPF)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – "Em audiência que não estava prevista na agenda oficial, o presidente Jair Bolsonaro recebeu no fim da tarde desta sexta-feira o diretor-geral da Polícia Federal , Maurício Valeixo. Segundo registro no site do Palácio do Planalto , incluído posteriormente, o encontro ocorreu às 17h. Pela manhã, a PF indiciou o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, pelo uso decandidaturas-laranja no PSL em Minas Gerais. No mesmo dia, ele foi denunciado pelo Ministério Público Eleitoral do Estado", informa o jornalista Gustavo Maia, em reportagem publicada no Globo.

Bolsonaro disse que eles trataram de "tudo que você possa imaginar", sem um assunto específico. "Trocamos informações de tudo que acontece no Brasil", afirmou. Horas depois, Bolsonaro anunciou que suspenderia as peças de propaganda do pacote anticrime, defendido por Moro, que é o chefe direto de Valeixo. Segundo Bolsonaro, a publicidade foi suspensa em razão de pressões da esquerda – o que não parece ser uma justificativa convincente.

Reportagem deste domingo da Folha de S. Paulo já envolve o próprio Bolsonaro no laranjal do PSL, a partir de provas recolhidas pela PF.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247