Bolsonaro diz que sancionará auxílio de R$ 600, agride repórteres e afirma que 31 de março "é o grande dia da liberdade" (VÍDEO)

Ao chegar aos portões, quando um dos seus apoiadores mencionou o aniversário do golpe militar de 31 de março de 1964, Bolsonaro reagiu com um sinal de positivo de exclamou: "é o grande dia da liberdade". Na entrevista, Bolsonaro anunciou que irá falar em rede nacional de rádio e TV na noite desta terça-feira

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Demonstrando novamente inabilidade na relação com a imprensa, Jair Bolsonaro incentivou um apoiador a falar e mandando que os jornalistas ficassem quietos. “É ele que vai falar, não é vocês não”, disse Bolsonaro a repórteres. Na entrevista, Bolsonaro anunciou que irá falar em rede nacional de rádio e TV na noite desta terça-feira.

O ocupante do Planalto disse que sancionará nesta terça o projeto de lei aprovado na noite desta segunda no Senado que determina auxílio emergencial de R$ 600 para as pessoas de baixa renda na crise do coronavírus. 

Leia abaixo a reportagem da Reuters:

Os jornalistas que acompanhavam a fala do presidente Jair Bolsonaro na saída do Palácio da Alvorada nesta terça-feira deixaram o local da entrevista após o presidente mais uma vez estimular apoiadores para que hostilizassem e xingassem os repórteres.

Depois de uma pergunta sobre a postura do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que tem dado orientações contrárias às de Bolsonaro durante a crise do coronavírus, um dos apoiadores começou a gritar que a imprensa “colocava o povo contra o presidente”. Bolsonaro reagiu incentivando o apoiador a falar e mandando que os jornalistas ficassem quietos.

“É ele que vai falar, não é vocês não”, disse Bolsonaro.

Com isso, os apoiadores começaram a xingar os jornalistas, que se retiraram do local e ficaram ao fundo. O presidente ficou inicialmente surpreso com a reação dos repórteres, mas logo aproveitou para ironizá-los.

“Mas vão abandonar o povo? Nunca vi isso, a imprensa que não gosta do povo”, gritou Bolsonaro aos repórteres que se mantinham afastados.

Em seguida, enquanto continuava a conversar com caminhoneiros que se reuniram na porta do Alvorada, Bolsonaro continuou falando aos jornalistas.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247